IBr Agência Digital | Blog

Google notificará usuários quando as empresas responderem a avaliações

Google notificará usuários quando as empresas responderem a avaliações

As notificações serão feitas por email

A Google informou recentemente que o Google Meu Negócio passará a notificar os usuários quando as empresas responderem às avaliações. Para as empresas, isso deve servir como um incentivo para que deem mais atenção às avaliações e resenhas dos usuários, sejam elas positivas ou negativas. Antes disto, uma resposta a uma avaliação passava despercebida, a não ser que o usuário voltasse à página da empresa para verificar se houve resposta.

Google Meu Negócio Notificações Comentários

Obviamente, as notificações representarão uma maior quantidade de respostas para aqueles usuários que fizeram comentários sobre as empresas. Responder avaliações normalmente é uma boa prática, independentemente de notificações, pois os comentários aparecem para novos usuários que encontram seu diretório no Google.

O que recomendamos e algumas dicas, nossas e do Google

Responder inadequadamente pode ser pior. Então, aqui a dica é: seja cordial, educado e atencioso mesmo com aqueles que enviarem más avaliações sobre sua empresa. Antes de responder algo, você precisa se preocupar em criar um diálogo produtivo e que procure resolver os problemas do seu cliente e da experiência dele com a sua empresa.

* Seja simpático e não ofenda ninguém: suas respostas precisam resolver o problema do seu cliente. Nunca se esqueça que qualquer pessoa insatisfeita precisa de maiores cuidados na comunicação.

* Respostas simples e diretas: seus clientes não querem ler respostas em formas de artigo. Vá direto ao ponto.

* Agradecimentos: converse com seus clientes em qualquer avaliação, seja negativa, seja positiva.

* Amizade e cumplicidade: o espaço não é um painel publicitário. Use o sistema para atrair seus clientes na forma de atenção e companheirismo.

Lembre-se: a notificação irá por e-mail a um cliente que provavelmente fez um comentário que exige cuidados, não faça publicidade ao responder! 😉

 

Abraço e até a próxima!

@FelipeAPereira

Felipe A Pereira - CEO Agência Digital Ibr

Administrador de Empresas, Consultor de Marketing e CEO da Agência Ibr.
Autor do livro “Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios”
Interaja comigo nas mídias sociais! =D
Facebook | Twitter | LinkedIn | Instagram | felipe@agenciaibr.com.br

Google: alterações no site levam meses para refletir na pesquisa

Google: alterações no site levam meses para refletir na pesquisa

John Mueller diz que pode levar meses para que muitas mudanças no site sejam processadas pelo algoritmo de classificação da pesquisa

Ou seja, se você fez muitas alterações no seu site é MUITO provável que levará bastante tempo para que elas causem retorno para você nos resultados das pesquisas. E o mais complicado é que você só poderá saber se essas ações foram corretas ou não, quando isso realmente acontecer – ganho ou perda de posicionamento.

Segundo o Google, se essas suas ações ocorrerem simultaneamente a uma grande atualização do algoritmo do Google, então você terá maiores dificuldades ainda para identificar o que gerou e o que não gerou resultado. Afinal, as alterações que ocorrerão após a tal atualização não serão necessariamente um resultados das alterações que você fez em seu site.

Então, qualquer ganho ou perda de tráfego orgânico precisa ser detalhadamente analisado, para que você não caia na tentação de fazer mais e mais alterações em seu site e não permitir que o Google entenda e classifique ele da melhor maneira possível.

E como chegamos a essa conclusão?

O assunto surgiu durante um hangout feito pela central do Google para webmasters, onde dois proprietários de sites apresentaram preocupações parecidas. Um deles observou ganhos e tráfego após atualização do algoritmo principal do Google, ocorrido em março recente… Depois, em abril, observou perdas. Já o outro disse que percebeu as mesmas alterações sendo que, no entanto, ele realizou vastas alterações em seu site em abril.

Desde as suas ações, o tráfego aumentou bastante, sendo que foi cortado pela metade com o passar do tempo e não retornou mais. As seguintes questões foram levantadas:

* A queda está relacionada à condição anterior do site?

* O site está sendo impactado pelas mudanças recentes do algoritmo?

Segundo Mueller, quaisquer alterações na forma como um site aparece na pesquisa não devem ser atribuídas a ajustes recentes no site, mesmo que coincidam com atualização de algoritmo. Ele diz, ainda, que é um processo demorado para rastrear, reindexar e reprocessar um site, podendo levar meses até que o Google entenda onde o site deve aparecer nos resultados.

Ele salienta que, principalmente se você tiver um site maior, com muitas páginas, e realizar algumas alterações, provavelmente isso não gerará mudanças rápidas. Por se tratar de um site maior, levará muito tempo de rastreamento e indexação para que se entenda o que, de fato, mudou e seja reprocessado o site, para um entendimento melhor sobre a forma como ele deve ser mostrado nos resultados.

O que eu entendo do que foi dito

Sobre atualizações no seu site gerarem resultados rápidos: o Google não quer dizer nem que sim, nem que não. Ele quer dizer que tudo vai depender. Vai depender do quão profundas foram suas alterações e, também, se houve alguma atualização no algoritmo. Ele disse que sites maiores dependem de mais tempo. Por razões óbvias, um site com mais de 10 mil páginas indexadas precisa alterar MUITA coisa para que o Google o veja de forma diferente. No entanto, sites menores – tenho certeza – conseguem identificar mudanças nos resultados em um espaço muito menor de tempo.

Só que o Google não pode afirmar isto. Então ele diz simplesmente que grandes acréscimos ou decréscimos no tráfego orgânico NÃO PODEM ser relacionados com alterações no seu site ou atualizações no algoritmo. Ou seja, o Google não diz nada a respeito.

O que eu indico

Trabalhe seu site com consistência. Defina suas principais palavras-chave (no máximo 5!!!) e trabalhe seu conteúdo constantemente em cima disto. Sim, o seu resultado será alcançado no longo prazo. Porém, a sua consistência fará com que dificilmente você perca os posicionamentos que conquistará.

O que fazer mais?

Por favor, não esqueça de:

* continuar lendo sobre as atualizações do algoritmo
* continuar, da mesma forma, produzindo novos conteúdos ORIGINAIS
* seguir otimizando suas páginas com frequência e de acordo com aquilo que o Google indicar

E você, percebeu grandes mudanças no seu posicionamento nos últimos meses?

Abraço e até a próxima!

@FelipeAPereira

Felipe A Pereira - CEO Agência Digital Ibr

Administrador de Empresas, Consultor de Marketing e CEO da Agência Ibr.
Autor do livro “Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios”
Interaja comigo nas mídias sociais! =D
Facebook | Twitter | LinkedIn | Instagram | felipe@agenciaibr.com.br

Videoconferência em grupos do WhatsApp? Teremos!

Teremos pelo menos 4 usuários em uma mesma chamada

Durante a F8, conferência promovida pelo Facebook para desenvolvedores, foi anunciado pelo diretor Mubarack Imam que os usuários do WhatsApp poderão realizar videoconferências em grupos. Além disso, houve também o anúncio da inclusão de stickers no aplicativo, seguindo a tendência de outros mensageiros, como o Messenger e o rival Telegram.

Imam não divulgou muitos detalhes a respeito da videoconferência, mas pela imagem divulgada na conferência, é possível perceber que suportará pelo menos 4 usuários em uma mesma chamada.

Espera-se que as atualizações fiquem disponíveis para todos os usuários nos próximos dias, apesar de não ter sido divulgada uma data exata para a liberação das novas funções.

Outro anúncio importante feito durante a F8, diz respeito ao WhatsApp Business: ao contrário das expectativas criadas na época do seu lançamento, o aplicativo permanecerá gratuito. No entanto, não está descartada a possibilidade de que funções adicionais, que venham a ajudar as empresas a aumentar seu alcance e, consequentemente, seus negócios, possam ser cobradas futuramente.

 

Abraço e até a próxima!

@FelipeAPereira

Felipe A Pereira - CEO Agência Digital Ibr

Administrador de Empresas, Consultor de Marketing e CEO da Agência Ibr.
Autor do livro “Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios”
Interaja comigo nas mídias sociais! =D
Facebook | Twitter | LinkedIn | Instagram | felipe@agenciaibr.com.br

Providencie o HTTPS em seu site. Para ontem!

Google anuncia prazo para julho de 2018 como data limite

Usuários receberão avisos explícitos sobre sites “não seguros”

Mais de 50% dos usuários de internet no mundo utilizam o Google Chrome, algo que nos diz que essa alteração certamente acarretará em impactos consideráveis para as empresas. Esse aviso pode afetar o comportamento do usuário dentro do seu site, gerando quedas no tempo de permanência, aumento de abandono do site, aumento de taxa de rejeição, cliques em anúncios e, consequentemente, na perda de vendas.

Como o Chrome avisa os usuários sobre páginas inseguras?

O aviso é exibido na barra de endereço do navegador, também conhecida como Omnibox, indicando que o site em que o usuário se encontra não é seguro. Esse aviso será exibido, a partir de julho, para TODOS os sites http.

O Google foi bem claro ao avisar que tornará visível o anúncio para todos os sites, afim de prevenir o usuário contra sites falhos e mal intencionados e, assim, atrair os ‘publishers’ e editores de site para o https.

Google Aviso HTTPS

Google divulga como avisará o usuário sobre o site não seguro na Omnibox

E as páginas com conteúdos misto? Não ficou claro se as páginas com conteúdos parte inseguro e parte seguro também receberão o aviso. No entanto, é bem provável que isso aconteça também.

O impacto do HTTPS do Chrome

Em função do comportamento do usuário ser diferente nas regiões do mundo, obviamente o impacto será diferente em determinados locais. Porém, mesmo nos países onde o uso do Chrome é “baixo”, ainda representa pelo menos 39% dos navegadores na internet. A necessidade do HTTPS será essencialmente importante na América do Sul, no México, em Israel e na Espanha. Na parte sul da América o uso do Chrome chega a 75% dos usuários. No México, 68%. Em Israel 66% e, no país espanhol, o uso do Chrome é feito por 63% dos usuários de internet.

Você deve atualizar para HTTPS?

Se você tem um site ou é responsável por manter um ou mais sites eu estimo que, provavelmente, analisando os dados do seu Google Analytics, você verá pelo menos 55% de visitantes que utilizam o navegador da Google. Se esse for o seu caso, sim, atualize para o HTTPS imediatamente. Imagine mais da metade dos seus usuários visualizarem avisos de “NÃO SEGURO” quando acessarem seu site. Certamente você sentirá o reflexo nos seus leads e clientes captados.

O vídeo explicativo do HTTPS está em inglês, mas você pode ativar as legendas.

Mudar para o HTTPS é mais barato do que você imagina.

Talvez o motivo mais válido para não migrar sejam objeções e questões técnicas, que, com um simples contato com o suporte da sua hospedagem de site, você consegue resolver. A maioria das empresas de hospedagem de sites já oferecem certificados HTTPS gratuitos.

É importante lembrar que essa não é mais uma consideração apenas para sites de comércio eletrônico – as lojas virtuais -, mas sim para TODOS os sites.

E você, já visualizou o aviso “NÃO SEGURO” em algum site? Já providenciou a sua migração para o HTTPS? Deixe sua resposta! =D

Abraço e até a próxima!

@FelipeAPereira

Felipe A Pereira - CEO Agência Digital Ibr

Administrador de Empresas, Consultor de Marketing e CEO da Agência Ibr.
Autor do livro “Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios”
Interaja comigo nas mídias sociais! =D
Facebook | Twitter | LinkedIn | Instagram | felipe@agenciaibr.com.br

Facebook abre temporada de caça e oferece recompensas!

Facebook abre temporada de caça e oferece recompensas!

A temporada de caça é em busca dos aplicativos que roubam dados

Nesta terça-feira, 10 de março, o Facebook lançou o programa “Data Abuse Bounty” (Em tradução livre, Recompensa por Abuso de Dados), que promete recompensas a quem denunciar desenvolvedores de aplicativos que estejam praticando o uso indevido de dados pessoais de usuários.

O Facebook já possui há bastante tempo um serviço semelhante para identificação de bugs e falhas de segurança. Porém, devido às grandes repercussões causadas por conta do caso envolvendo a empresa Cambridge Analytica, a empresa de Mark Zuckerberg resolveu pedir auxílio a seus próprios usuários, no combate ao vazamento e mau uso de dados. Caso uma denúncia seja confirmada, o usuário receberá recompensas a partir de US$500,00, o equivalente a aproximadamente R$1.700,00. Esse valor pode ser ainda maior, dependendo do impacto gerado pela denúncia.

facebook oferece recompensa para denuncias de aplicativos maliciosos

Conforme as políticas da rede social, é considerado abuso quando um aplicativo permite que os dados pessoas de seus usuários sejam transferidos a alguém que possa vendê-los, roubá-los ou usá-los para fraudes ou influência política. De acordo com Colin Greene, Líder de Segurança de Produtos do Facebook, todas as denúncias serão rapidamente apuradas e, caso sejam comprovadas ameaças à segurança, providências serão tomadas imediatamente.

“Se confirmarmos o abuso de dados, encerraremos o aplicativo ofensor e tomaremos medidas legais contra a empresa que está vendendo ou comprando os dados, se necessário”, explica Greene. “Pagaremos a pessoa que denunciar o problema e também alertaremos aqueles que acreditamos que tenham sido afetados”, completa.

O Facebook explica que o processo de verificação das denúncias seguirá, de modo geral, seis estágios. São eles:

1 – Identificação, por parte de um usuário, de um aplicativo malicioso, que esteja vazando ou utilizando de maneira imprópria os dados pessoas dos usuários.

2 – Usuário efetuar a denúncia, através de formulário específico, do programa Data Abuse Bounty.

3 – Análise, por parte do Facebook, da veracidade da denúncia.

4 – Investigação, caso a denúncia seja considerada procedente. Será nesse estágio que o Facebook irá procurar o denunciante, para obter o maior número possível de informações e detalhes, com o intuito de determinar se aquele aplicativo, de fato, está cometendo as irregularidades citadas.

5 – Aplicação de medidas cabíveis, por parte do Facebook, em relação ao desenvolvedor do aplicativo. Essas medidas podem variar desde a simples remoção do aplicativo, até mesmo uma perícia no local da empresa, para comprovação das irregularidades e tomada de medidas legais.

6 – Por fim, o Facebook recompensará o denunciante. O valor mínimo será de US$500,00, e não há um limite máximo. Porém, para ser elegível à recompensa, é necessário que o problema tenha afetado ao menos 10 mil usuários da rede social. E no caso de mais de uma pessoa denunciar o mesmo aplicativo, apenas a primeira denúncia será recompensada.

Apelo da Agência Ibr: as denúncias servem para resolver um problema de escala global, com potencial para atingir TODOS os usuários do Facebook. Ou seja, com potencial para atingir cada um de nós. Não utilize essa ferramenta como caça-níqueis. As denúncias não devem ser feitas com base em suspeitas, palpites, impressões ou gosto pessoal. Apenas denuncie um aplicativo, caso você realmente tenha conhecimento de que as informações estão sendo repassadas de maneira irregular. Cada denúncia falsa fará os profissionais do Facebook desviarem suas atenções de ameaças reais, que poderão estar distribuindo os nossos dados para pessoas mal-intencionadas.

Abraço e até a próxima!

@FelipeAPereira

Felipe A Pereira - CEO Agência Digital Ibr

Administrador de Empresas, Consultor de Marketing e CEO da Agência Ibr.
Autor do livro “Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios”
Interaja comigo nas mídias sociais! =D
Facebook | Twitter | LinkedIn | Instagram | felipe@agenciaibr.com.br