IBr Agência Digital | Blog

Google projeta a criação de um aplicativo de bate papo

Google projeta a criação de um aplicativo de bate papo

Com o surgimento dos aplicativos de bate papo, o serviço de SMS oferecido pelas operadoras de telefonia ficou em segundo plano. A grande maioria dos usuários de smartphones possuem conexão à internet, e o WhatsApp acaba sendo muito mais utilizado, pois possui diversas funcionalidades que são inexistentes no ultrapassado sistema de mensagens de texto SMS.

Foi pensando nisso que a Google iniciou uma negociação com as principais empresas de telefonia móvel, propondo uma parceria para a criação de um novo modelo de SMS, que será chamado de RCS (Rich Communications Service, ou “Serviço de Comunicações Ricas”).

A idéia é transformar o antigo SMS, incorporando qualidades já bem sucedidas nos aplicativos de bate papo, como os textos grandes, o envio de mensagens de voz e arquivos, a possibilidade de saber se a pessoa recebeu e leu a mensagem que você enviou e a criação de chats. Ou seja, a grande intenção deste projeto é possibilitar o uso de um aplicativo similar ao WhatsApp, contudo sendo utilizado offline.

A google trata deste assunto com a GSMA, que é a associação representante das principais operadoras de telefonia móvel no mundo.

A associação acredita no potêncial da criação do RCS há muito tempo, e acredita que uma parceria com a Google faria de fato o projeto deslanchar.

Sem dúvidas, o RCS não está sendo criado para tornar-se o grande rival do WhatsApp, mas como uma nova alternativa de comunicação por smartphones. Agora basta esperarmos e avaliar o resultado de mais uma ambicioso investimento da gigante das buscas.

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Google vai construir cabo submarino de São Paulo ao Rio de Janeiro

Google vai construir cabo submarino de São Paulo ao Rio de Janeiro

A Google anunciou uma novidade nesta última semana. A gigante dos sites de busca irá construir o “Junior”, um cabo marítimo ligando os estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

O objetivo da obra é a transmissão de dados em alta velocidade entre os estados. A empresa já vem realizando projetos semelhantes com um cabo ligando o litoral de Santos ao litoral uruguaio, chamado de Tannat, e um segundo cabo ligando o Brasil aos Estados Unidos, chamado de Monet. Os três cabos serão interligados.

A realização do projeto conta com a parceria da empresa paulista Padtec, e o cabo recebeu este nome para homenagear José Ferraz de Almeida Júnior (1850-1899), artista brasileiro famoso por suas pinturas e desenhos.

Segundo Cristian Ramos, gerente de desenvolvimento de infraestrutura de internet da Google brasileira, mesmo com o momento de crise no nosso país, ainda existe uma demanda muito grande por ampliação de tecnologia de internet, e esta obra irá ampliar consideravelmente a qualidade de transmissão na américa latina e Estados Unidos, tornando-a mais rápida, segura e eficaz.

 

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Por que o Windows deixou de ser o carro chefe da Microsoft?

Por que o Windows deixou de ser o carro chefe da Microsoft?

Sem dúvidas, o Windows é o sistema operacional mais popular do mundo, e este sucesso consolidou-se cada vez mais com o passar dos anos. A grande maioria dos computadores do planeta possuem o Windows até hoje.

Apesar dos computadores da Apple – que possuem seu sistema operacional próprio – dominarem uma grande fatia do mercado nos últimos anos, muitos dos fiéis consumidores da Microsoft ainda optam pelo Windows.

Então como podemos explicar o fato do Windows deixar de ser o produto mais vendido da Microsoft, se ele foi o carro chefe da empresa, e determinou todo o sucesso dela durante todos esses anos?

O maior gerador de receita da empresa, atualmente, são os serviços de cloud e servidores. Contudo, não quer dizer que o Windows figure logo em seguida no topo dos produtos e serviços oferecidos. O Xbox One é um sucesso já consolidado desde o Xbox 360, e existem uma quantidade infinita desses consoles espalhados nos lares em todo o mundo, e eles geram uma receita enorme, pois quem possui o console se obriga a investir em jogos e acessórios pra fazer um bom uso do mesmo.

Mas vamos com calma. Se você achava que o Windows figuraria na terceira colocação, se enganou!  Ainda na sua frente encontra-se as vendas do pacote Office, e logo em seguida e na quarta posição, vem o sistema operacional.

O principal fator para explicar tal “declínio” é a nova era dos smartphones e tablets.

É evidente que para fins de trabalho, o teclado de mesa e a tela grande de um desktop ou de um notebook, não devem perder espaço tão cedo, devido a seu conforto e praticidade, todavia, o fato é que os smartphones conseguem suprir diversas necessidades sem precisar de um computador, como acesso a todas as redes sociais, emails, jogos e diversos outros aplicativos com funcionalidades diversas.

Não foi só o Windows que perdeu popularidade, mas também os próprios computadores. Pesquisas revelam que as vendas de desktops e notebooks caíram consideravelmente nos últimos dois anos.

A evolução da tecnologia, juntamente da praticidade da internet, nos mostra que o desenvolvimento tecnológico é constante, e até mesmo uma poderosa empresa como a Microsoft necessita estar sempre atenta, identificando as novas tendências e transformações do mercado tecnológico e aplicando novas estratégias para se manter no topo.

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Sony Lança Streaming de Filmes com Qualidade 4k

Sony lança streaming de filmes com qualidade 4k

A Sony anunciou o lançamento do seu novo serviço de streaming em qualidade 4k.

A estreia está marcada pra 4 de abril nos Estados Unidos.

Mas pra quem acha que a novidade da gigante japonesa virá para competir com os já consolidados Netflix e Amazon, se enganou.

O novo projeto, batizado de “Ultra”, surge com diversas limitações perante os demais concorrentes

Somente os proprietários de SmartTvs da Sony terão o direito de ser assinantes, e diferente dos outros serviços que são prestados através de uma assinatura mensal, no Ultra o usuário paga por cada título assistido, que além de serem vendidos inicialmente por “somente” 30 dólares, toda a programação disponibilizada será de filmes e seriados de produção da própria marca.

O dono de uma tv Sony que não possuir a tecnologia 4k não poderá ter o acesso ao novo streaming.

Segundo Jake Winett, vice presidente da Sony Pictures, o que impulsionou o projeto foi o fato do grande aumento de lares com internet de alta qualidade de banda, e o alto índice de compra de televisões em 4k.

Informou também que o padrão de pagamento, feito por cada obra assistida pode ser alterado no futuro, caso necessário.

Ainda não existe um prazo definido para a liberação do serviço no resto do mundo. Certamente será observado os resultados experimentais nos EUA, para se ter uma base do nível de aceitação, para posteriormente explora-lo mundialmente.

 

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Instagram atualiza algoritmo do seu feed de notícias

Instagram atualiza algoritmo do seu feed de notícias

No início da semana passada, o Instagram alterou o algoritmo do seu feed de notícias. A partir de agora o feed deixa de ser apresentado em ordem cronológica e passa a avaliar a provabilidade de seu interesse em determinado post, o seu envolvimento com a pessoa que o fez e a oportunidade do post.

Segundo Kevin Systrom, CEO do Instagram, os usuários deixam de visualizar em torno de 70 por cento do total de seu feed, e por isso acredita que a melhor forma de otimização de conteúdo é fazer o usuário usar da melhor forma possível esses 30 por cento que ele costuma visualizar.

Por mais que faça sentido o raciocínio de Kevin, com certeza esta alteração tem como objetivo principal a monetização.

Pesquisa feita pela americana eMarketer, revela que a receita do Instagram em 2015 ficou em torno de 600 milhões de dólares, e a expectativa para 2016 é um aumento de 150 por cento nestes números.

Nos últimos anos, muitas empresas aderiram ao Instagram, ao perceber o grande poder de visualização que esta mídia social proporciona aos negócios.

Com esta alteração no algoritmo do feed, o Instagram tem a possibilidade de fazer vermos “o que ele quer”, e ai entram os anunciantes pagando para seus anúncios serem mais visualizados, gerando o aumento de receita para a mídia social.

As grandes empresas, que possuem capital sobrando em caixa, para investir em grandes ações de marketing sairão na frente com estas mudanças. Quem sairá prejudicado são os donos de pequenos negócios, pois não será muito atraente para os mesmos o valor de um anúncio.

A mesma têndencia ocorre atualmente com as alterações realizadas pela Google, que extinguiu os anúncios do lado direito da tela, prejudicando os anunciantes que não possuem grandes capitais para este tipo de investimento, fazendo seus anúncios caírem nos resultados da SERP.

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

WhatsApp chat