IBr Agência Digital | Blog

Crianças perguntam ao Google, ao invés de seus pais ou professores


De acordo o Daily Mail, os menores de 15 anos parecem caminhar cada vez mais distantes de seus pais, pelo menos quando se refere a fazer perguntas e obter conhecimento.

Crianças perguntam ao Google

De acordo com a publicação britânica, 54% das crianças preferem consultar o Google em vez de perguntar a seus pais ou professores.

Outro detalhe que chama a atenção é que metade das crianças, por volta de 45%, nunca consultaram uma enciclopédia e 19% não sabem o que é um dicionário impresso.

O estudo envolveu 500 crianças e destaca a tecnologia como uma central de respostas. Quase metade das crianças usa o Google pelo menos cinco vezes ao dia.

“Isso não é necessariamente uma coisa ruim. Ela mostra o quão comum é a tecnologia digital para as crianças de hoje e como elas estão confortáveis em usá-la”, disse Dr Pam Waddell, Diretor da Birmingham Science City.

.

Fonte: Google Discovery, por Renê Fraga.

Adicionar a lista de interesses no Facebook para organizar seu feed por tópicos

Adicionar a lista de interesses“: hoje o Facebook anunciou que os usuários poderão agrupar paginas e perfis públicos em “Listas de Interesses“, podendo assim filtrar por tópico seu Feed de Notícias.

Os usuários do Facebook já podiam criar listas para organizar seus amigos, mas não havia uma opção para agrupar páginas até hoje.

Os usuários poderão ver um link escrito “Adicionar a lista de interesses” como nas imagens abaixo. Apartir daí os usuários podem se inscrever em listas de outros usários ou criar sua própria. As listas podem incluir páginas, assinaturas e amigos. É possivel também compartilhar essas listas.

adicionar a lista de interesses - Facebook

adicionar a lista de interesses - Facebook

 

Quando os usuários visualizam uma lista, esta aparece como uma versão filtrada do Feed de Notícias, parecido com a lista de amigos.
É um pouco cedo para falar, mas a lista de interesses pode mudar a maneira que as pessoas interagem com histórias de páginas de marcas. Se os usuários virem postagens relacionadas no mesmo tópico, eles podem se engajar mais do que quando virem esses posts entre os amigos e páginas não relacionadas.

 .

.

Por Felipe Bing

Me acompanhe no Facebook e no Google+!

 

Porque seu marketing de conteúdo deve abordar preços

marketing de conteúdo deve abordar preços

Você abertamente divulga seus preços em seu site?

Sabemos que se procurarmos o bastante, nós eventualmente encontraremos o que estamos procurando. E isso inclui preços de qualquer produto ou serviço.
Apesar desta realidade muitos sites falham ao abordar algumas das questões mais primordiais que seus clientes e potenciais clientes tem, especialmente quando se trata de “preços”.

 

Mas porque debater preços online?

Recentemente, em uma conferência onde participavam cerca de 100 empresários, foi feita uma pergunta muito simples:

“Quantos de vocês aqui falam sobre preços e custos dos seus produtos e serviços no site de sua companhia?”

E adivinhem quantos levantaram a mão?
Se você respondeu “1”, acertou!

Apenas 1 pessoa de 100, expõe preços em seu site.
Porém aqui vai outra estatística chocante – Quando foi perguntada a este mesmo grupo de empresários, qual a porcentagem de seus clientes que perguntam preços e custos nos primeiros minutos de um contato/conversa, absolutamente todos levantaram a mão.

Surpresos? Claro que não. As pessoas gostam de saber quanto as coisas custam.

Apesar de tudo, a maioria das empresas ao redor do mundo decidiu deixar de lado a questão “preços” em seus sites, por uma variedade de motivos, o mais comum é o medo de perder um prospect antes dele sequer contatar a empresa.
E embora esta manobra tenha funcionado no marketing de 5 ou 10 anos atrás, posso dizer com certeza de que os clientes de hoje não gostam que suas perguntas  primordiais fiquem sem resposta. Além do mais, se você quer entrar de cabeça no marketing de conteúdo e na essência das mídias sociais, deve aprender a abordar cada ponto que o seu cliente pede a sua empresa.

Em outras palavras, se seu cliente esta pensando isso, você deve abordar.
Esta transparência, esta abordagem do senso comum é a essência do marketing moderno.

.

.

Fonte: Social Media Examiner

Timeline e fanpages: veja 5 dicas e novidades para sua página de fãs no Facebook

O Facebook já informou que até o final de março todas as páginas de fãs estarão no novo sistema. Até lá algumas já podem optar em utilizar o novo sistema. Aquelas que optarem por ainda não mudarem, serão migradas automaticamente até o final do mês.

Vamos, então, a algumas diferenças que notamos:

1. Foto de capa

Você pode adicionar uma foto de capa, que faça menção à sua marca, semelhante ao recurso já disponível nos perfis com a nova timeline. Mas fique atento: para não ser banido, sua foto de capa não pode conter pedidos de “curtir”, conteúdo de promoção e não ser criado totalmente baseado em texto. Resumindo: deve ser uma imagem com design que faça referência à sua marca, e ponto.

2. Fãs: mensagens e publicações recentes

Anteriormente, não era possível as marcas interagirem com seus fãs através de mensagens privadas. Agora, com a implementação da timeline e a nova fan page, isto é possível. Basta o fã visitar a página e clicar no botão “Mensagem”:

Porém, não é possível que essa conversa se inicie com você: você somente poderá interagir com o seu fã se ele lhe enviar, primeiramente, uma mensagem. Essa mensagem aparecerá no seu Painel Administrativo (seu botão localiza-se no topo da página, à direita) e também na sua página inicial, muito semelhante com o sistema anterior.

Importante: nas Configurações você poderá editar e optar se o botão Mensagem ficará disponível ou não, bem como optar se as menções dos fãs ficarão em destaque na sua página ou não.

3. Abas Personalizadas

Antes você tinha a opção de personalizar, criando aplicativos e alterando nas configurações da página, uma aba para que o visitante que ainda não curtiu sua página caia diretamente nela. Era uma forma bastante interessante de interagir com quem recém conheceu sua página e engaja-lo a interagir e passar a acompanhar as atualizações.

Essas abas personalizadas permanecem na sua página. Porém, agora não se pode mais definir em qual aba o visitante novo pousará. É o fim da página de pouso.

O posicionamento das abas pode ser alterado, para que você deixe as principais aparecendo logo abaixo da sua foto de capa. Você edita o posicionamento de cada uma delas. A única que não pode ser alterada de posição é a de fotos, que permanecerá sempre na primeira posição, logo à esquerda.

4. “Destacar” e “Fixar no Topo”

Cada uma das suas postagens pode ser editada e configurada como destaque e, também, como fixa no topo. As postagens marcadas como destaque ocuparão sua timeline em toda a parte horizontal:

Já as mensagens marcadas como “Fixar no Topo” aparecerão em primeiro na sua timeline, mesmo tendo já postagens mais atuais. Você pode fazer essa ação para dar destaque a algum conteúdo importante e para aumentar o alance da sua postagem, deixando-a mais tempo no topo da timeline.

5. Tamanhos de aplicativos e abas

Antes tínhamos um limite para as abas, que era de 520px de largura. Essas agora ficam centralizadas e a largura agora pode chegar até 810px.

Essas são, a meu ver e inicialmente, algumas das principais mudanças. E você, o que achou? Comente e deixe sua opinião!

.

.

Por Felipe Pereira
.
Administrador de Empresas e fundador da Intermidia Brasil.
>
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Nova política de privacidade do Google será investigada

Na Europa, através de um órgão regulamentador de proteção de dados da França, a gigante Google terá sua nova política de privacidade investigada. Segundo o órgão, a Google não se conformava com as leis europeias no que diz respeito à proteção da privacidade dos usuários.

política de privacidade

Em carta enviada ao Google no dia 27, a CNIL (Comissão Nationale de l’Informatique et des Libertés) informou que levará à frente essa investigação, junto de outros reguladores europeus e irá remeter uma lista de questionamentos para a gigante das buscas norte-americana já em março.

Em janeiro a Google informou seus usuários (e mantém esses alertas até a data de hoje, pelo menos), que mudará sua política de privacidade, aplicando a todos os seus serviços, entre eles YouTube, Gmail e Google+.

A empresa passará a unificar todas as informações que captar dos seus usuários, seja ela no Gmail, Google+ ou qualquer um outro serviço, com a explicação de que, assim, tornará melhores os resultados de buscas e melhorará o serviço aos usuários. Saiba que suas informações do Gmail poderão servir de base para anunciantes lhe mostrarem produtos em outros serviços da Google. Se você quiser continuar utilizando os serviços Google, deverá se adaptar a essa mudança, não há como optar em não ceder os dados para os demais serviços.

De acordo com a Reuters, o regulador francês disse ao Google que “a CNIL e as autoridades da União Europeia estão profundamente preocupados com a combinação de dados pessoais entre serviços”, salientando que existem muitas dúvidas quanto à legalidade dessa mudança e sua conformidade com a legislação europeia que protege dados de usuários.

Ainda de acordo com a agência, essas mudanças entram em vigor no dia 01 de março e dois pedidos de reguladores europeus para atrasar essa vigência já teriam sido rejeitados pela gigante das buscas, que usou o seu blog para responder à carta da CNIL dizendo que está feliz em poder responder aos questionamentos das autoridades europeias. “Como já dissemos várias vezes durante a semana passada, nossas políticas de privacidade mudarão em 01 de março, e o nosso compromisso com os nossos princípios de privacidade está mais forte do que nunca”, escreveu a empresa.

Essa disputa aparece em um momento conturbado para a gigante das buscas, pois o seu modelo de negócios baseia-se em ganhar dinheiro vendendo publicidade segmentada por usuário aos seus anunciantes.

Há pouco tempo, a conduta da Google já foi colocada em questão, quando anunciou que passaria a dar preferência para sua rede social nos resultados das buscas. Ela classifica seus resultados de busca favorecendo seus próprios serviços sobre os rivais. Nesse caso, dando menos relevância ao conteúdo do Twitter, por exemplo, que é onde a informação torna-se disponível de forma mais rápida na internet.

Você sabia que, como usuário Google, pode solicitar que seus dados sejam todos apagados?

Bom, se serão, aí são outros 500…

WhatsApp chat