Arquivos Facebook - Página 22 de 23 -

Facebook analisa dados de relacionamentos para o dia dos namorados

Na terça-feira passada (14), nos Estados Unidos, comemorou-se o Dia dos Namorados. Em razão desta data especial para os apaixonados, a página “Data Facebook” resolveu ‘rabiscar’ um gráfico de relacionamentos da rede social. O estudo analisou as mudanças de status de relacionamento nos últimos quatro anos e revelaram números impressionantes.

Facebook analisa dados de relacionamentos

Você sabia que desde 2008 mais de 260 milhões de pessoas se disseram “em um relacionamento sério” com outra pessoa no Facebook? Destes, 65% namoraram apenas uma pessoa. No entanto, aqueles que mais se separaram e tiveram novos romances ajudaram a compor melhor o gráfico.

85 milhões de pessoas estão em uma rede gigante, o que significa que seguindo uma relação interpessoal destas pessoas, você pode alcançar qualquer uma delas. Por exemplo: um amigo seu namorou uma menina que era prima de um amigo da sua namorada. É uma relação um tanto complicada, certo? Mas ela realmente pode acontecer, e acontece bastante – tanto que a criação deste tipo de análise foi baseada nessas ligações.

O estudo lembra ainda que muita gente utiliza o status do Facebook de maneira errada, como meninas que dizem estar “em um relacionamento” com suas melhores amigas (20% com menos de 15 anos colocam esse status para dizer que têm amigas). Omitindo este tipo de público, o número cai um pouco, para 45 milhões de pessoas, o que ainda assim é uma estatística bem interessante. Mas como seria a representação deste gráfico conectando tanta gente ao redor do planeta?

Confira na foto abaixo uma amostra, que tem como público as pessoas com mais de 18 anos dos Estados Unidos que já mudaram seu status de relacionamento no Facebook. Os pontos azuis são homens e os vermelhos são mulheres. Interessante, não?

Facebook analisa dados de relacionamentos na rede

Informações TechTudo

Facebook: contas verificadas e nomes fakes para pessoas públicas

Baseado historicamente em nomes e identidades reais, o Facebook passará a oferecer contas verificadas e possibilidade de utilização de pseudônimos para figuras públicas. Ou seja, se a figura quiser, poderá optar em exibir um nome fake ou de sua preferência após verificar sua conta. O recurso já está disponível no Twitter desde 2009 e no Google+ já logo após o seu lançamento.

.

fakes para pessoas públicas

Opção de verificação de conta disponível para usuários com muitos assinantes

.

Inicialmente, apenas usuários com números elevados de assinantes serão convidados a utilizar o novo recurso. Vantagem: depois de verificada, a conta passará a receber maior credibilidade e aparecerá com mais frequência como perfil indicado para os usuários assinarem e, daí por diante, passarem a acompanhar.

Curioso é que o Facebook não utilizará nenhum emblema ou símbolo, como utilizado pelo Twitter, para diferenciar contas verificadas de contas ‘normais’. Bastante curioso, afinal essa é a forma que as pessoas utilizariam para diferenciar perfis verdadeiros de perfis mentirosos e fakes.

Em vez dos emblemas, o Facebook permitirá que o usuário utilize um pseudônimo, fugindo à sua regra inicial de permitir apenas nomes verdadeiros. Dessa forma, pessoas com nomes famosos ‘estranhos’ poderão ser encontradas tanto pelo nome artístico quanto pelo seu nome de registro.

Não há formas de auto voluntariar-se para a verificação, apenas usuários com muitos assinantes serão convidados a verificar suas contas.

.

.

.
Por Felipe Pereira
.
Administrador de Empresas, acadêmico de estratégias digitais de marketing e fundador da Intermidia Brasil.
>
Me siga no Twitter, no Facebook e no Google+!

Facebook – Anúncios em breve também nos dispositivos móveis

dispositivos móveis

O falatório em torno do Facebook nas últimas semanas tem sido grande. Não satisfeita, a gigante das redes sociais resolveu dar mais uma chacoalhada nas coisas, com a introdução de anúncios pagos nos dispositivos móveis, que deverá acontecer ao longo das próximas duas semanas.

O Facebook já havia dito que colocar anuncios de “histórias patrocinadas” – onde as marcas pagam para se destacar nas interaçoes das pessoas e destas com seus amigos – nos dispositivos móveis era um possível passo a ser tomado pela empresa.

Em sua apresentação de IPO (Oferta Pública Inicial) na semana passada, O Facebook afirmou aos seus potenciais investidores que a falta de uma receita significativa vinda de dispositivos móveis, usados por metade dos 800 milhões de usuários, poderia afetar negativamente sua entrada de receita, a medida que mais e mais usuários começam a usar dispositivos móveis em vez de PCs para se conectar.

O grande desafio para o Facebook será encontrar o equílibrio entre satisfazer seus futuros acionistas com um rápido crescimento de sua receita, e seus fiéis usuários, que a julgar pelas reações às mudanças anteriores, podem ser resistentes a ideia de serem bombardeados por publicidade em seus PCs e agora também em seus dispositivos móveis.

Se bem que com seus 800 milhões de usuarios, é praticamente impossível fazer mudanças sem prejudicar alguma parte.
O que a empresa precisa descobrir é a melhor maneira de incorporar os anúncios sem estragar a experiência de uso.

A pequena tela simplificada causa grandes dores de cabeça para o Facebook que, se criar a formula correta, terá descoberto uma mina de ouro!

Linha do tempo do Facebook, Google e a Bolha de Filtros

A linha do tempo do facebook não é mais novidade para ninguém, a grande maioria ja está utilizando, ou porque habilitou por conta própria ou recebeu a atualização automaticamente. E se você foi uma das pessoas que optou por habilita-lá por conta própria, por pura curiosidade, talvez esteja se arrependendo tanto quanto eu.

Juro que se soubesse a grande porcaria, pesada, confusa e cheia de “bugs” que seria, eu NUNCA teria habilitado. Em todo lado só ouço reclamações.
Zuckerberg meu amigo, é bom que tenhas bons planos para esta atualização que nos foi empurrada goela abaixo, senão…

Na verdade ele tem bons planos, mas para ele!
Esta atualização nada mais é do que um incentivo para que você compartilhe mais conteúdo em seu perfil, digo, na sua linha do tempo, e com isso aumentar a interatividade dos usuários, e destes com a rede social. E aumento de interetividade se resume a aumento do tempo que você fica com seu Facebook aberto e consequentemente aumenta o tempo que você fica exposto a anúncios.

“Ah! Vai ser assim então? To indo para o Google+

O Google e suas práticas cada vez mais monopolistas nos seus resultados de buscas? Vai pra lá então. (Já falei sobre isto: leia aqui)

Não se trata mais de importar-se com o que é bom para o internauta (e algum dia importou?) e sim o quanto saber sobre ele para empurrar-lhes os produtos de seus anunciantes. Sério gente, o Google sabe mais sobre nós do que nossas próprias mães!

Semana passada fez muito calor aqui em “Forno” Alegre, então e cogitei comprar um Ar Condicionado Split, fiz uma busca, olhei 3 sites e desisti, não achei sensato gastar uma grana por causa de 2 dias de calor (sim, eu sou pão duro!). Enfim, encerrada a busca fui ler algumas noticías e visitar alguns sites como de costume. Foi então que comecei a atentar para os anúncios nos sites que eu estava visitando, e adivinhem o que vi?
Exatamente, uma enxurrada de ofertas de Splits, oriundos da minha pesquisa anterior e mostrados na rede de display do Google.

Os Crawlers do Google.

Alguns podem pensar que é coincidência. Sim, seria coincidência uma vez, mas não 4 vezes!!!
Sim, de 8 sites que visitei, 4 deles me mostravam ofertas de Ar Condicionado Split nos seus anúncios. Nos rodapés dos vídeos ou nos banners em flash, onde quer que eu clicasse e houvesse espaço para publicidade, eu via ofertas de Split. Todos eles foram direcionados a mim exclusivamente, graças a minha maldita busca.
Me senti numa feira onde os feirantes tentam lhe empurrar toda sorte de mercadorias na base do grito, e todos ao mesmo tempo!
Um corredor polonês de ofertas de Split.

Ok, isso é ótimo para os negócios, para quem está anunciando é uma maravilha o que os mecanismos de busca fazem para empurrar oferecer os produtos ou serviços da sua empresa.

Mas vou desta vez puxar para o lado do internauta que não esta buscando comprar e sim se entreter ou buscar informação.

O que quero que reflitam é o seguinte: se para um resultado de busca por um produto ele me fez isso, o que acontece quando eu busco por um determinado assunto de meu interesse? O que acontece na minha busca por conhecimento? Por informação? Vou ficar preso a “bolha de filtros” das minha próprias preferencias e nunca saberei o que há além?

A resposta para essa pergunta é: SIM!

O Google, alias, não só o Google, o Yahoo, Facebook e todo mecanismo em que você possa fazer uma busca, vai lhe mostrar unicamente o que eles ACHAM que você quer ver, e não aquilo que você TEM que ver!!

Bolha de filtros de Eli Pariser

Nas palavras de Eric Schmidt, ex-CEO do Google: “Será muito dificil fazer com que as pessoas vejam ou adquiram algo que não foi de alguma forma feito para elas.”

“Ah, Felipe, mas isso é bom!”

Não, não é! Sabe por que? Por que você não decide o que é bom pra você, as preferências da sua bolha de filtros não são escolhidas por você, e sim presumidas pelos seus atos, suas buscas, seu comportamento na internet.

A pior parte é que você nunca saberá o que está do lado de fora desta bolha…
.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Anunciada há três meses, parceria Yahoo/Facebook aumenta visitas ao site de buscas

Após anunciar parceria com a rede de Mark Zuckerberg, site de buscas aumenta número de usuários

Já sabíamos, pois já tínhamos lido a notícia de que Facebook e Yahoo atuariam juntos em alguns sentidos. Já podemos perceber, também, que alguns amigos nossos no Facebook tem o seu perfil atualizado automaticamente quando passam a praticar leituras no portal Yahoo.

Basta ‘logar’ nas duas contas, Facebook e Yahoo, e autorizar o acesso e sua timeline será atualizada automaticamente conforme você muda suas leituras no portal Yahoo. Mas tome cuidado, pois é automático: você não opta que cada uma das leituras seja compartilhada. É automático.

A relação, já estreita, entre os dois irá ainda mais a fundo, permitindo cada vez mais que os usuários da rede social compartilhem as informações e atividades da sua vida online.

A opção de compartilhamento apareceu na seção principal da Yahoo há três meses. A mesma opção está agora disponível em 26 outras seções do motor de busca, incluindo o serviço “omg” para notícias de entretenimento e seções dedicadas a TV, cinema e jogos.

Totalmente previsível, o Yahoo divulgou que os usuários vindos do Facebook triplicou após a introdução da nova opção.

Um dos próximos focos do Yahoo, a partir de agora, é buscar crescimento na publicidade online, onde o Facebook já se encontra em estágio avançado e ganhando terreno, com o objetivo de buscar a revitalização da concorrência com o Google, que hoje disparou e está muito distante na liderança tanto para utilização (usuários) como para publicidade.

Afinal, onde há usuários, há mais chances de prospectar anúncios.

.

.
Por Felipe Pereira
Administrador de Empresas, acadêmico de estratégias digitais de marketing e fundador da Intermidia Brasil.
>
Me siga no Twitter, no Facebook e no Google+!

WhatsApp chat