Arquivos Google - Página 10 de 13 -

Google inova e testa ideia de realizar pagamentos sem retirar carteira ou celular do bolso

Google inova e testa ideia de realizar pagamentos sem retirar carteira ou celular do bolso

Parece mesmo que o lema da Google é inovar. Logo após de investir na fabricação de robôs ultra modernos e lançar óculos “populares” de realidade virtual, a gigante das buscas começou a testar uma ideia que, sem dúvidas, podemos chamar de futurística.

Trata-se de um aplicativo instalado ao smartphone que reconhecerá estabelecimentos credenciados a sua utilização. Ele terá versões para Android e iOS, e funciona através de Wi-Fi, Bluetooth e pelo serviço de localização do celular.

Como irá funcionar?

Após o reconhecimento do estabelecimento pelo aplicativo, no momento que o cliente se dirigir ao caixa para pagar sua conta, basta ele dizer: “I’ll pay with Google”, ou “eu vou pagar com o Google”, se for no Brasil, e o sistema do estabelecimento já receberá na tela do computador os dados do cliente com sua foto. Inicialmente, o funcionário do caixa que irá conferir se a foto bate com a fisionomia do cliente, mas a Google já vem preparando uma câmera que irá tirar uma foto do rosto do cliente e o próprio aplicativo vai fazer a confirmação de identidade. Após o pagamento a foto é apagada automaticamente.

O projeto encontra-se em fase de testes na Califórnia e ainda não existe uma previsão de tornar-se uma realidade, mas como já sabemos que a Google não costuma brincar em serviço, as chances são grandes de nos beneficiarmos com mais uma facilidade tecnológica.

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil.  Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Começam as vendas do Cardboard nas lojas da Google

Começam as vendas do Cardboard nas lojas da Google

O comercio de óculos com tecnologia de realidade virtual virou uma febre nas últimas semanas.

Acontece que o preço destes equipamentos não são nada atraentes. Quando um produto tão esperado como este chega ao mercado, o seu valor inicial sempre assusta o consumidor, e só fica mais em conta quando a novidade deixa de ser tão atrativa com o passar do tempo.

Sabendo disso, a Google criou um projeto chamado Cardboard. Trata-se de um passo a passo, ensinando como fabricar seu próprio óculos de realidade virtual, com os materiais necessários adquiridos de forma muito mais em conta.

Mesmo com toda a facilidade na produção caseira do óculos, percebeu-se que a maioria das pessoas não tinha disposição, tempo ou até mesmo habilidade para seguir o tutorial, e foi a partir dai que a Google decidiu produzir um óculos com a base de papelão, e com preço muito mais atrativo que os modelos disponíveis no mercado.

A Google Store reservou uma seção exclusivamente para os equipamentos de realidade virtual, e o modelo econômico Cardboard sai por US$ 15. O par do modelo sai por US$ 25. Também já encontra-se disponível o modelo View-Master VR, muito semelhante ao Cardboard, porém o papelão é substituído pelo plástico, e sai por US$ 30. E por último, o portátil Goggle Tech C1-Glas, que sai por US$ 15.

Por enquanto a novidade ainda não chegou a Google Store brasileira, mas quem quiser se aventurar no tutorial e fabricar seu próprio CardBoard, mãos à obra!

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil.  Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Google investe na criação de robôs ultramodernos

Google investe na criação de robôs ultramodernos

Sabemos que não é novidade o fato de vivermos numa nova era tecnológica. A evolução que presenciamos nos últimos anos nos mostra que não existem limites para as invenções do ser humano.

Dentro deste cenário, o Google parece não estar satisfeito com todo o sucesso atingido, e decidiu investir numa industria fabricante de robôs ultra modernos, comprando a Boston Dynamics.

Há algum tempo, diversos modelos de robôs já são usados  por fabricas de veículos e eletrodomésticos. Até mesmo em algumas cirurgias em seres humanos eles são utilizados.

Contudo, os novos modelos produzidos pela Boston Dynamics são impressionantes. O formato do corpo muito parecido com o de um ser  humano, e as habilidades encontradas são características não vistas anteriormente.

O mais novo modelo em questão é chamado de Atlas. Ele possui 1,75 cm de altura e 81 quilos. Ele possui diversas habilidades, como carregar e empilhar caixas. Se por algum motivo  cair no show, ele tem a capacidade de se levantar sozinho, e também consegue caminhar em terrenos desnivelados ou não sólidos, como um solo coberto de neve ou areia, por exemplo.

O Atlas foi criado para o trabalho dentro e fora de obras. Ele funciona através de energia elétrica e de forma hidráulica. Ele foi totalmente projetado com sensores que lhe dão a noção de espaço e de terreno pra adaptar-se em diversas situações.

Confira aqui o vídeo demonstrativo.

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil.  Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Novo layout do Google Adwords: quais as vantagens e desvantagens?

Novo layout do Google Adwords: quais as vantagens e desvantagens?

Os anúncios da coluna da direita foram extintos e as primeiras posições mostram, agora, 4 anúncios em vez dos 3 de até então

Uma recente atualização no layout das páginas de resultados do Google trouxe insegurança para muitos anunciantes. Como saber, de fato, a melhor estratégia de adaptação às mudanças ocorridas?

Entendendo as mudanças

Os anúncios pagos que eram expostos no lado direito da tela, ao lado dos anúncios da busca orgânica, deixaram de existir. Contudo, foi criada uma quarta e última colocação nos anúncios pagos que encontram-se na parte superior da tela. Os 3 últimos anunciantes da parte inferior da tela permaneceram da mesma forma.

Sendo assim, os anúncios que foram extintos do lado direito da tela, passam a disputar colocações com os anunciantes da parte superior e inferior. Exemplificando, se o anúncio encontrava-se na primeira colocação na parte direita da página, teoricamente ele passa a “disputar” a primeira colocação da parte inferior da primeira página e, em muitos casos, será movido para a segunda página (dependendo do seu índice de qualidade e lance máximo).

Ou seja, estas novidades geram uma nova disputa pelas melhores colocações, e quem não estiver disposto a investir um pouco mais, sem dúvida, ficará pra trás.

O Google aplicou esta nova estratégia visando o lucro, pois obviamente, os anunciantes que estavam satisfeitos em estar, por exemplo, na terceira colocação da parte direita dos anúncios pagos, serão obrigados a reavaliar seus investimentos, a fim de tentar manter-se na primeira página, que passou a ser ainda mais concorrida.

Contudo, a mudança gerou além de desconfiança, alguns benefícios para os anunciantes. Pra quem anunciava e possuía como posição média as posições do lado direito da tela, obtinha um anúncio menos “detalhado”. A partir de agora todos os anúncios podem usar extensões de chamada, extensões de sitelink, extensões de localização e assim por diante.

Conclusões

O fato é que a mudança aplica-se a todos, por isso não existe a necessidade de entrar em pânico. Torna-se essencial ao anunciante ficar mais atento aos resultados a partir de agora, mantendo a monitoração de suas campanhas e ajustando suas contas, conforme necessário.

Só o tempo nos permitirá ter uma noção e avaliação mais ampla da dimensão de todas estas mudanças e o que de fato influenciará nos valores investidos e nos resultados obtidos nas campanhas de links patrocinados do Google Adwords.
.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil.  Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Atualização do Google prioriza sites com versão mobile

Alteração se dá em função do aumento do uso de dispositivos móveis

Olá leitor da Intermidia Brasil!

Já parou pra pensar quantas vezes você entra em sites de lojas virtuais, sites de veiculação de notícias ou até mesmo em sites de serviços e etc.? Muitas vezes! Não é mesmo!?

O Google sabe disto e está bem interessado e preocupado com esta evolução de acessos a sites por dispositivos móveis. Somente no ano passado, o acesso à lojas virtuais realizadas por dispositivos mobile cresceram mais de 200% só no Brasil!

Quem é mobilegeddon?

Por estas e outras, o Google esta preocupado em disponibilizar ao usuário uma ótima experiência mobile em suas buscas. Como já havia sido especulado muito em 2014, o gigante das buscas lançou a sua mais nova atualização: chamada por muitos de “mobilegeddon”. Esta atualização foi informada oficialmente pelo “Blog do Google para Webmasters”, sendo mencionada por muitos especialistas da área como a “bomba das atualizações” já realizadas até o momento pelo motor de busca.

Ele prioriza sites responsivos nas buscas. Ou seja: sites que se adaptam a várias telas de dispositivos móveis (celulares e tablets), além de proporcionar uma ótima navegação ao usuário, com textos apropriados a uma fácil leitura, elementos de toque bem divididos (opções de navegação do site) e páginas com auto-ajuste de tela. Em suma, uma fácil navegação no mundo mobile aos usuários que utilizam esta praticidade nos acessos do dia-a-dia.

Como descobrir se você esta sendo afetado

Para saber sua situação real, você pode analisar seu site em ferramentas que o próprio Google disponibiliza para descobrir se ele é compatível com dispositivos mobile e saber o que funciona e o que não funciona nessa versão.

Você pode acessar o “Google Webmasters Tools” e conferir se seu site está de acordo com as diretrizes. Confere aí!

Teste Google Webmasters Tools Sites responsivos

Você também pode utilizar esta ferramenta no link a seguir http://goo.gl/GOE0k5 e conferir se o seu site é compátivel com dispositivos móveis como na imagem abaixo!

GWT Teste Google Site Responsivo

Então, se você conferiu seu site com estas ferramentas disponibilizadas pelo Google e encontrou algum destes problemas, é melhor correr e começar a trabalhar em um site responsivo para seu negócio!

O gigante das buscas está afirmando, com todas as palavras, que sites responsivos (adaptáveis às mais variadas dimensões de tela) terão mais relevância nas buscas, bem como mais visibilidade pelo simples fato de estar adequado às novas diretrizes.

Porém, não é somente por causa dessa prioridade do Google que você deve fazer essa verificação e adaptação no seu site, mas também, pelo fato consolidado de que, ano após ano, exista cada vez mais pessoas acessando conteúdos por dispositivos móveis.

Quem não se adequar ao mercado acabará perdendo não somente bons pontos com o Google, mas perderá também, ótimas oportunidades no mercado por simplesmente estar andando para trás e não acompanhar as novidades do mundo online. 😉

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil.  Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

WhatsApp chat