Arquivos Notícias - Página 49 de 52 -

Adicionar a lista de interesses no Facebook para organizar seu feed por tópicos

Adicionar a lista de interesses“: hoje o Facebook anunciou que os usuários poderão agrupar paginas e perfis públicos em “Listas de Interesses“, podendo assim filtrar por tópico seu Feed de Notícias.

Os usuários do Facebook já podiam criar listas para organizar seus amigos, mas não havia uma opção para agrupar páginas até hoje.

Os usuários poderão ver um link escrito “Adicionar a lista de interesses” como nas imagens abaixo. Apartir daí os usuários podem se inscrever em listas de outros usários ou criar sua própria. As listas podem incluir páginas, assinaturas e amigos. É possivel também compartilhar essas listas.

adicionar a lista de interesses - Facebook

adicionar a lista de interesses - Facebook

 

Quando os usuários visualizam uma lista, esta aparece como uma versão filtrada do Feed de Notícias, parecido com a lista de amigos.
É um pouco cedo para falar, mas a lista de interesses pode mudar a maneira que as pessoas interagem com histórias de páginas de marcas. Se os usuários virem postagens relacionadas no mesmo tópico, eles podem se engajar mais do que quando virem esses posts entre os amigos e páginas não relacionadas.

 .

.

Por Felipe Bing

Me acompanhe no Facebook e no Google+!

 

Nova política de privacidade do Google será investigada

Na Europa, através de um órgão regulamentador de proteção de dados da França, a gigante Google terá sua nova política de privacidade investigada. Segundo o órgão, a Google não se conformava com as leis europeias no que diz respeito à proteção da privacidade dos usuários.

política de privacidade

Em carta enviada ao Google no dia 27, a CNIL (Comissão Nationale de l’Informatique et des Libertés) informou que levará à frente essa investigação, junto de outros reguladores europeus e irá remeter uma lista de questionamentos para a gigante das buscas norte-americana já em março.

Em janeiro a Google informou seus usuários (e mantém esses alertas até a data de hoje, pelo menos), que mudará sua política de privacidade, aplicando a todos os seus serviços, entre eles YouTube, Gmail e Google+.

A empresa passará a unificar todas as informações que captar dos seus usuários, seja ela no Gmail, Google+ ou qualquer um outro serviço, com a explicação de que, assim, tornará melhores os resultados de buscas e melhorará o serviço aos usuários. Saiba que suas informações do Gmail poderão servir de base para anunciantes lhe mostrarem produtos em outros serviços da Google. Se você quiser continuar utilizando os serviços Google, deverá se adaptar a essa mudança, não há como optar em não ceder os dados para os demais serviços.

De acordo com a Reuters, o regulador francês disse ao Google que “a CNIL e as autoridades da União Europeia estão profundamente preocupados com a combinação de dados pessoais entre serviços”, salientando que existem muitas dúvidas quanto à legalidade dessa mudança e sua conformidade com a legislação europeia que protege dados de usuários.

Ainda de acordo com a agência, essas mudanças entram em vigor no dia 01 de março e dois pedidos de reguladores europeus para atrasar essa vigência já teriam sido rejeitados pela gigante das buscas, que usou o seu blog para responder à carta da CNIL dizendo que está feliz em poder responder aos questionamentos das autoridades europeias. “Como já dissemos várias vezes durante a semana passada, nossas políticas de privacidade mudarão em 01 de março, e o nosso compromisso com os nossos princípios de privacidade está mais forte do que nunca”, escreveu a empresa.

Essa disputa aparece em um momento conturbado para a gigante das buscas, pois o seu modelo de negócios baseia-se em ganhar dinheiro vendendo publicidade segmentada por usuário aos seus anunciantes.

Há pouco tempo, a conduta da Google já foi colocada em questão, quando anunciou que passaria a dar preferência para sua rede social nos resultados das buscas. Ela classifica seus resultados de busca favorecendo seus próprios serviços sobre os rivais. Nesse caso, dando menos relevância ao conteúdo do Twitter, por exemplo, que é onde a informação torna-se disponível de forma mais rápida na internet.

Você sabia que, como usuário Google, pode solicitar que seus dados sejam todos apagados?

Bom, se serão, aí são outros 500…

Novo recurso de controle de SPAM no Google+

O Google lançou melhorias nas opções de controle de spam para sua rede social Google+. O novo recurso permite que os usuários marquem comentários como inadequados ou abusivos e bloquear quaisquer comentários futuros do referido usuário infrator.

O novo recurso vem na forma de uma bandeirinha que apareçe no canto inferior direito quando você passa o mouse sobre um comentário, mostrando a escrita “Sinalizar como Impróprio” quando deixado o mouse em cima. A marcação pode ser desfeita clicando novamente sobre o ícone.

controle de SPAM no Google+

Quando marcado, o comentário fica esmaecido. O usuário será removido do seu círculo e suas atualizações não aparecerão mais em seu streaming. A pessoa não terá o conhecimento de que você a bloqueou ou marcou como imprópria. Curiosamente, você pode marcar comentários de pessoas fora de seus círculos também.

Paulo Coelho no The Pirate Bay

Hoje em visita ao site The Pirate Bay vi algo que me deixou bastante impressionado.

Estampado na página inicial do site, encontro uma grande foto de ningúem menos que Paulo Coelho, com os dizeres: Pirate Bay orgulhosamente promove Paulo Coelho.

Para quem não conhece o The Pirate Bay é um site de compartilhamento de arquivos em Torrent (P2P), muito famoso por sinal.

Me perguntei: Mas que diabos é isso??
Então cliquei na foto e fui direcionado para o blog do Paulo Coelho, e lá estava um post escrito por ele próprio explicando o por que desta ação.
O Blog é em inglês, como sou bonzinho vou transcrever aqui o referido post.

…………………

Promo Bay

O The Pirate Bay incia hoje um novo e interessante sistema para promover a arte.
Você tem alguma banda? Você é um aspirante a produtor de cinema? Um comediante? Desenha Cartoons?
Eles irão trocar o logo da página inicial por um link para o seu trabalho. Para saber mais como ficar na página inicial deles, clique aqui.

Tão logo aprendi como funciona, decidi participar. Muitos dos meu livros estão lá, e como eu disse em um outro post, a venda físcia dos meus livros vem crescendo desde que meu leitores têm postado eles em sites de compartilhamento(P2P).
Seja bem vindo e baixe meus livros gratuitamente, e se você gostar, compre uma cópia fisica – é uma maneira que temos de falar para a indústria que a ganância não leva a lugar nenhum.

Com amor,
O Coleho Pirata

…………………

Bom, como “praticante” de P2P e anti-S.O.P.A., fiquei todo arrepiado ao ler isso. Simplesmente Paulo Coelho, com toda sua classe, deu um tapa de luva em toda essa história,  na indústria capitalista que tenta impedir a todo custo o compartilhamento de arquivos online.

Sua declaração sobre a venda de livros ter crescido desde que seus livros foram parar nos canais p2p não é novidade para niguém. Digo mais, isso é assim para a grande maioria dos escritores, músicos, cineastas e demais artistas. Compartilhar seus trabalhos gratuitamente faz com que todos o conheçam. Outro exemplo? Chris Anderson, autor de A Cauda Longa. O livro, muito antes de chegar nas prateleiras, estava nos canais de compartilhamento.

Nós, compartilhadores somos assim, se gostamos compramos, sejam CDs, Filmes, Livros ou o que for. Para mim isso é uma forma de homenagear o artista pelo seu trabalho.

E você, o que acha disso?
Deixe seu comentário aqui no Blog!

Por Felipe Gonçalves
http: //facebook.com/felipebing

Como a mudança na busca social do Google pode afetar sua marca

O Google anunciou que passará a mostrar uma enorme quantidade de resultados sociais nas consequências das suas buscas. Até aí tudo bem. O grande problema, hoje pelo menos, é que os fatores considerados nessa questão social vem todos do Google+, deixando as mídias sociais de maior movimentação e relevância, de fora: Twitter e Facebook.

.
Onde essa mudança afeta a sua marca

Muitas empresas, muitas  mesmo, dependem da sua classificação no Google para manter e aumentar sua quantidade de tráfego no site, vendas e novos contatos comerciais. A partir dessa implantação, será muito mais difícil entender e adaptar a otimização e personalizar palavras-chave e pesquisas, uma vez que, com os usuários conectados (logados) no Google, não se tem a informação do seu comportamento. A não ser o próprio Google. E a diferença mora aqui: os resultados sociais – do Google+ – aparecem com destaque, antes das listagens públicas.

Você talvez saiba diferenciar, talvez seja de seu conhecimento que a busca mostra resultados diferentes quando feita de forma conectada ao Google, mas e o público, sabe disso? Se sabe, qual o percentual?

Erin Everhart, diretor de web e marketing de uma empresa especialista em Digital, utiliza seu próprio negócio como exemplo. Ao pesquisar por uma das principais palavras-chave do seu negócio, “empresa de web design”, fica bastante nítido que o usuário procura uma empresa que presta esse tipo de serviço. Porém, veja na imagem o resultado mostrado pelo Google:

Dois dos três primeiros resultados, sempre bastante disputados e cobiçados, são preenchidos com menções sociais. E esses resultados de nada tem a ver com o desejo do usuário (buscar uma empresa que preste aquele serviço, lembra?).
.
A busca pessoal esconde uma quantidade enorme de conteúdo público relevante e de muito boa qualidade, e a partir de agora você precisará ser cada vez mais bem posicionado (conceitos) e admirado por influenciadores, pois é esse aspecto que vai receber cada vez mais destaque.
.
O Google sempre se preocupou em divulgar e dar ênfase ao fato de proporcionar a melhor experiência possível ao usuário, mostrando resultados relevantes e cada vez mais próximos daquilo que o internauta procura – essa é a função do temido Panda. Parece que agora não estão pensando (tanto) assim, pois pelo menos atualmente os resultados mais relevantes moram no Twitter, no Facebook e em sites já posicionados, com conteúdo público.

.
O que fazer, então?
.

Não há outra alternativa. Você precisa dar um jeito e fazer com que sua marca passe a integrar essa busca social. Ela dá ênfase ao Google+ e não ao Facebook e Twitter, você deverá traçar novas estratégias, ingressando sua marca no Google+ (não abandone as outras!), participar de forma ativa e com usuários-chave e influentes. Mostre ao Google+ quem é você e o quão relevante você é no seu setor, assim suas chances de aparecer serão cada vez maiores.

Esse é o plano do Google para destronar o Facebook, está nítido. Mais uma vez vejo reforçada minha opinião sobre o crescimento do Google+: nasceu de um gigante, enquanto seu maior rival é obra de si mesmo.
.

Faça isso o quanto antes: inclua e explore todas as opções que o Google+ oferece e coloque dentro do seu site, além de participar de forma ativa e constante na rede social. Utilize, principalmente, a tag de autor (disponibilizada pelo Google+) quando tiveres conteúdo publicado. O Google mostrará o seu perfil quando seu tema for pesquisado.
.
Cada um de nós tem o direito de formar opiniões, há quem critique e há quem elogie essa nova manobra do Google. O que todos nós concordamos é que precisamos manter a visibilidade de nossas marcas.
.

.

.
Por Felipe Pereira
.
Administrador de Empresas, acadêmico de estratégias digitais de marketing e fundador da Intermidia Brasil.
>
Me siga no Twitter, no Facebook e no Google+!

WhatsApp chat