Arquivos Novidades - Página 29 de 31 -

Netflix lança ferramenta para usuários controlarem o consumo de dados

Netflix lança ferramenta para usuários controlarem o consumo de dados

Por mais que o grande foco dos usuários do Netflix seja a utilização do serviço de streaming no WiFi de suas residências, grande parte destes assinantes utilizam o Netflix nos smartphones, através do seu pacote de dados.

O problema nesta forma de uso é o alto consumo de dados no carregamento dos conteúdos, e por melhor que seja o seu plano de internet, ele não irá dar conta do recado, se você usar o Netflix através do plano de dados diariamente.

Foi pensando nisso que o Netflix criou uma  nova ferramenta, que possibilita ao usuário selecionar a qualidade do vídeo carregado, viabilizando um maior controle nos gastos de sua internet móvel.

A novidade já está disponível para Android e para iOS.

De forma pré definida, o Netflix identifica automaticamente o padrão de qualidade da sua internet móvel e a qualidade do vídeo, equilibrando-as.

Basta clicar no ícone da parte superior da tela, selecionar “App setings” e logo após, “Data usage”.

A nova ferramenta traz cinco opções de configuração:

-Off: Só realiza o streaming quando tiver conectado via Wi-Fi.

-Baixa: Carrega o streaming com cerca de quatro horas por GB (0,55MB por segundo)

-Média: Carrega o streaming com cerca de duas horas por GB ( 1,1MB por segundo )

-Alta: Carrega o streaming com  cerca de uma hora por GB ( 2,2MB por segundo )

-Ilimitada: Carrega o streaming sempre com a melhor qualidade possível.

Lembrando que, em acesso por rede Wi-Fi, não existe a limitação de qualidade.

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Acidentalmente, cientistas descobrem uma bateria que pode durar infinitamente

Acidentalmente, cientistas descobrem uma bateria que pode durar infinitamente

O surgimento dos smartphones foi um divisor de águas, no sentido de facilitar a vida das pessoas com todas as praticidades que os modernos aparelhos passaram a nos possibilitar.

Contudo, um problema encontrado na maioria desses aparelhos: a duração da bateria.

Já se foi o tempo em que carregávamos nosso celular e sua bateria durava dias, a ponto de esquecermos de recarrega-la.

Todo proprietário de um smartphone já sabe que, ao chegar em casa deverá colocar seu aparelho para carregar a bateria, ou irá ficar na mão.

A boa nova com relação às baterias é que, acidentalmente, cientistas da Universidade da Califórnia descobriram uma nova forma de produzi-las, de forma que elas durem quase que eternamente.

Os pesquisadores substituíram o lítio usado na fabricação das baterias por uma mistura de nanotubos de ouro banhados em gel eletrolítico.

Essa experiência já havia sido testada anteriormente, mas o resultado não era satisfatório porque os nanotubos de lítio se corroiam após milhares de ciclos de carregamento.

A forma encontrada acidentalmente pelos cientistas, foi revestindo o ouro, que até então corroía, com uma camada de dióxido de manganês, e colocando um gel eletrolítico no lugar do lítio.

Após este processo, percebeu-se que a corrosão tinha sido estancada, solucionando o principal problema, que até então não se obtinha soluções.

Durante 3 meses de testes e milhares de recargas, a bateria estava praticamente intacta, com somente 5% de alteração na sua composição.

O problema que poderia, de fato, inviabilizar o avanço da descoberta, é o alto custo da produção com o ouro, todavia, os cientistas já buscam alternativas no níquel, um metal mais em conta, e que facilitaria os custos dos fabricantes que aderissem a esta nova e surpreendente tecnologia.

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Google fez proposta para comprar o Telegram

Google fez proposta para comprar o Telegram

 

Vazou na mídia internacional a informação de que o Google fez uma proposta de 1 bilhão de dólares para comprar o maior rival do WhatsApp, o Telegram.

Segundo as fontes que relevaram a tentativa do negócio, o CEO do Telegram, Pavel Durov, parece realmente acreditar na continuação do crescimento de seu aplicativo de bate papo, pois ele foi curto e grosso com Sundar Pichai, CEO da Google, informando-o que o negócio não teria a menor chance de evoluir.

Houveram rumores num passado recente, que o Google já havia tentando comprar o WhatsApp, antes de sua compra ser efetuada pelo Facebook.

Não é de hoje que a Google busca alternativas para criação de um novo aplicativo de bate papo, para entrar na briga com o WhatsApp e o Messenger, de Mark Zuckerberg.

Tudo indica que a Google busca a atualização, ou até mesmo a substituição do seu aplicativo Hangouts.

Há alguns meses citamos aqui no nosso blog, que a Google estaria investindo pesado na criação de um aplicativo de bate papo offline.

Algo parecido com o antigo SMS, porém, totalmente reformulado, com funções semelhantes ao WhatsApp e ao Telegram, entretanto, sendo seu uso debitado nos créditos de seu plano de internet móvel, junto sua operadora.

Ainda não se sabe se houve a desistência deste projeto, ou se ele pode surgir como uma surpresa a qualquer momento.

Enquanto aguardamos novidades, Mark Zuckerberg continua tranquilamente no topo, quando o assunto é bate papo em mídias sociais.

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Facebook perto de perder sua hegemonia nas redes sociais

Facebook perto de perder sua hegemonia nas redes sociais

O facebook, apesar de ser uma empresa com poucos anos de vida, se tornou a rede social mais rica do mundo.

O jovem e talentoso Mark Zuckerberg, apesar da pouca idade, já é uma das pessoas mais ricas do planeta.

Desde a sua fundação, o Facebook nunca parou de crescer. O faturamento do inicio de 2016 triplicou em relação aos resultados do mesmo período em 2015, ou seja, é uma empresa que nunca ouvir falar em crise.

Mas pela primeira vez, outra mídia social está próxima de atingir o número de usuários do Facebook. O WhatsApp, que já conta com o número impressionante de um bilhão de usuários.

Se não bastasse toda a fortuna já adquirida por Zuckerberg com o Facebook, o jovem talento além de ser muito inteligente, mostrou-se um grande empreendedor, quando comprou os direitos do WhatsApp na época que o aplicativo começou a fazer sucesso.

Por este motivo que o empresário não está nem um pouco preocupado com o avanço de mais uma frente de seus negócios.

O WhatsApp, apesar do número semelhante de usuários, não chega nem perto no que diz respeito a receita, com relação ao Facebook, mas para Mark o WhatsApp garante um gigantesco banco de clientes espalhados por todo o mundo.

Além do Facebook, Zuckerberg possui o Messenger e o Instagram.

Nada mal não acham?

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Usuários do Instagram não aprovam seu novo algoritmo

Usuários do Instagram não aprovam seu novo algoritmo

Nas últimas semanas, o Instagram apresentou um pacote de atualizações. Entre elas estão a data exata da publicação e a possibilidade de administrar múltiplos perfis com a mesma conta.

Estas novidades foram muito bem recebidas pelos usuários.

Contudo, uma outra nova atualização irritou muito os adeptos ao Instagram.

Trata-se do novo algoritmo utilizado pelo aplicativo, que a partir de agora, seleciona o que ele considerar “mais interessante” para o usuário.

O novo sistema ficou muito semelhante ao que o Facebook já vem fazendo há muito tempo.

Antes desta alteração, o feed do aplicativo era organizado de forma cronológica, o que possivelmente fazia com que muitas pessoas permanecessem mais tempo no Instagram do que no Facebook.

Segundo pesquisas do próprio Instagram, as pessoas conseguem visualizar somente 30% do conteúdo considerado interessante as mesmas, e por isso alterou o seu algoritmo.

Uma alternativa que alguns usuários encontraram para poder continuar acompanhando o que os seus principais amigos postam é um novo recurso que permite que você receba uma notificação toda vez que a conta dos amigos que você pré definir, realizar alguma postagem. O lado negativo em ativar este recurso é que o seu celular vai disparar as notificações o tempo inteiro, tornando-se desagradável para muitos.

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

WhatsApp chat