Arquivos amazon -

Google, Facebook e Amazon planejam blackout em protesto a nova lei.

Google, Facebook e Amazon

As empresas: Google, Facebook e Amazon consideram interromper acesso aos seus serviços por um dia como protesto contra lei antipirataria que tramita no Senado americano.

.

Um dia sem buscas no Google, sem acesso ao Facebook ou compras na Amazon. O maior medo dos usuários mais frequentes destes sites pode se tornar realidade. A atitude seria um protesto das empresas contra a lei antipirataria que tramita no Senado americano, conhecida como SOPA (Stop Online Piracy Act).

Se aprovada a lei vai responsabilizar os sites por todo o conteúdo que for postado pelos usuários sob pena de bloqueio do site ou até mesmo a prisão dos responsáveis pela página. O projeto é fortemente apoiado por representantes da indústria musical e cinematográfica e que tem como objetivo exterminar a distribuição gratuita de seus produtos na web.

De acordo com informações da Fox News, o executivo Markham Erickson, da NetCoalition (associação que inclui empresas de tecnologia como Twitter e Google, por exemplo) detalhes do blackout ainda não foram acertados pelas companhias. A ação, segundo Erickson, está em análise e poderá ser colocada em prática caso as autoridades americanas continuem a considerar a aplicação da medida

Em 15 de novembro de 2011, foi enviada ao Congresso americano uma carta assinada pelas maiores empresas de tecnologia do planeta – como Google, Facebook, Zynga, Mozilla e LinkedIn – e que alertava para os perigos que tal medida que pode que pode mudar os rumos da internet.

Fonte: Exame

Nos EUA, hábito de ler cresce e cada vez mais em livros eletrônicos

Apesar do momento difícil para livraras de bairro nos EUA, as pessoas estão lendo mais do que tempos passados e buscam, através de livros eletrônicos, de biografias de famosos a livros de ficção.

Para Chris Scluep, editor da Amazon, maior vendedora de livros pela internet nos EUA, “Só temos tido notícias boas este ano. Em geral, a leitura tem se tornado mais popular”.

Segundo Schluep, agora é muito mais fácil comprar um livro e o hábito da leitura tem crescido em meio à população.

Este ano a Amazon anunciou que entre abril e maio vendeu 105 livros eletrônicos para o Kindle para cada 100 livros no formato convencional, o papel.

A biografia de Steve Jobs, co-fundador da Apple falecido há alguns meses, de Walter Isaacson, é o livro de não-ficção mais vendido pela Amazon tanto no formato papel quanto eletrônico e foi lançado apenas em outubro.

Também popular foi o “The Again”, da atriz Diane Keaton, onde ela conta sua própria história vinculada aos diários de sua mãe.

Schluep afirmou que 2011 é um ótimo ano para a literatura e que vê uma tendência de aumento na quantidade de livros literários, notando fortes ofertas de romancistas conhecidos ou novatos.

Ele também espera que mais pessoas publiquem seus próprios livros.

“Isso é uma linha direta entre autor e leitor”, disse. “O mundo editorial está mudando e eu não tenho controle sobre a direção para onde ele está indo. A tendência é que as pessoas tenham um maior controle.”

.

Informações: reuters.com

WhatsApp chat