Arquivos Novidades - Página 3 de 31 -

Google vai disponibilizar um teste de depressão para seus usuários

Google vai disponibilizar um teste de depressão para seus usuários

 

 

O Google vai disponibilizar na sua versão mobile um teste em forma de questionário para os usuários que acreditam sofrerem de depressão.

Já não é novidade empresas do mercado virtual realizarem ações nobres com intúito de ajudar a população. No Instagram é possível marcar conteúdos considerados perigosos com o objetivo de comunicar a rede social. No Facebook já são realizados testes com uma nova ferramenta capaz de identificar mensagens de usuários que contenham conteúdo com tendências suicídas.

A depressão é um transtorno mental que deve ser levado a sério, e em muitos casos as pessoas têm depressão há muito tempo e não sabem, ou sabem e não procuram ajuda. Em diversas ocasiões o depressivo tem vergonha de reconhecer seu problema devido ao preconceito que parte da sociedade ainda tem com esse assunto.

Cada vez mais as pessoas pesquisam sobre sintomas de doenças e medicamentos no Google. Sabendo disso, a gigante das buscas decidiu ajudar essas pessoas que sofrem com a depressão. O questionário, chamado de PHQ-9, é utilizado profissionalmente por psicólogos e psiquiatras. Ele possui 9 perguntas, e através delas se obtém um resultado que vai de 0 a 27. Quanto maior a nota, maior o grau de depressão.

Apesar do questionário ser profissional, somente um psicólogo ou psiquiatra são capazes de diagnosticar a depressão com precisão e certeza. O teste será utilizado para o usuário identificar os sinais depressivos e procurar a ajuda profissional.

Inicialmente o teste está sendo liberado somente nos Estados Unidos e em breve será utilizado nos demais países.

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Atualização do LinkedIn permite a publicação de vídeos na rede social

Atualização do LinkedIn permite a publicação de vídeos na rede social

 

 

 

 

Foi anunciado nesta semana, que em breve o LinkedIn possibilitará a seus usuários a postagem de vídeos na rede social.

Contudo, a novidade já encontra-se disponível nos aplicativos móveis para Android e iOS, sendo possível carregar o conteúdo em vídeo já existente no dispositivo ou gravar um novo vídeo diretamente do aplicativo do LinkedIn.

A nova ferramenta já estava sendo testada há algum tempo com um pequeno número de usuários, e neste curto período de testes foram identificados conteúdos interessantes e criativos, fazendo com que a rede social se animasse com o lançamento.

Após o usuário fazer uma postagem com conteúdo em vídeo, será possível identificar as informações de quem visualizou o clipe, quantas vezes foi visualizado, quantas curtidas e visualização dos comentários.

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Netflix investirá US$ 7 bilhões na produção de conteúdo próprio

Ao que tudo indica, o Netflix pretende continuar sendo o maior serviço pago de streaming em vídeo do mundo. A empresa revelou que investirá US$ 7 bilhões em produções próprias no próximo ano.

Em 2016, foram gastos US$ 5 bilhões na produção dos conteúdos autorais, e neste ano foram investidos US$ 6 bilhões.

Vale lembrar que alguns seriados da empresa como “The Get Down, Sense 8 e Girlboss não obtiveram o sucesso esperado e foram descontinuados, e mesmo assim, a ideia da empresa de conseguir produzir o máximo possível do conteúdo de sua plataforma continua intacta.

Para isso, o Netflix fechou parcerias com grandes produtores como os irmãos Coen, que ganharam o oscar de melhor filme com Onde Os Fracos Não Tem Vez, com Shonda Rimes, criadora de Greys Anatomy e com o apresentador David Letterman, que já havia se aposentado em 2015, mas aceitou o desafio.

A maior parte do catálogo da Netflix ainda é composta por conteúdos licenciados, e a idéia da empresa é fazer com que daqui alguns anos o conteúdo seja 100% autoral, da mesma forma Que o HBO já vem fazendo.

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Após um ano de seu lançamento, rede social Hello tem 500 mil downloads

Após um ano de seu lançamento, rede social Hello tem 500 mil downloads

 

 

A Hello, rede social do criador do Orkut, chegou ao seu primeiro ano de existência no mês de julho com a marca de 500 mil downloads.

Ainda que os números estejam bem longe dos 300 milhões de usuários que o Orkut conquistou no seu auge, e ainda mais distante dos 2 bilhões de usuários do Facebook, a Hello considera que os resultados superaram as expectativas.

Através de um comunicado, a empresa revelou que a marca a ser atingida no primeiro ano de vida eram os 100 mil downloads, contudo esse número foi cinco vezes superado.

A rede social do criador do Orkut foi lançada em 13 países, incluindo o Brasil, que foi o país com maior número de usuários no antigo Orkut.

Será que alguma nova rede social conseguirá bater o Facebook no futuro? Só o tempo nos dirá!

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Google passará a punir aplicativos da PlayStore que travam e que consomem muita energia

Google passará a punir aplicativos da PlayStore que travam e que consomem muita energia

O Google decidiu que irá punir os aplicativos disponíveis na Play Store que apresentam problemas de travamento ou que consomem muita bateria dos smartphones. Tal medida será tomada com o objetivo de garantir um acervo de maior qualidade para os usuários do sistema Android.

Isso não quer dizer que os aplicativos que forem identificados com essas deficiências serão banidos da loja do Google. Contudo, eles perderão colocações no ranking, dando lugar a aplicativos que não apresentem os mesmos problemas.

Para consolidar essa nova medida, a empresa realizará uma alteração no algoritmo da Play Store, que utilizará as classificações dadas pelos próprios usuários para identificar os aplicativos com problemas.

Para os desenvolvedores, a dica é utilizar sempre o Google Play Console, para encontrar qualquer tipo de problema de qualidade e corrigi-lo.

 

.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

WhatsApp chat