Arquivos Redes Sociais - Página 27 de 35 -

Facebook: usuário agora curte músicas em páginas pelo botão “ouvir”

O Facebook anunciou, ontem, que os usuários agora poderão ouvir as músicas de suas bandas e artistas preferidos através da rede social.

O que torna isso possível são os serviços de música, entre eles Spotify (do eterno conselheiro de Mark Zuckerberg, Sean Parker) e, aqui no Brasil, o OiRdio.

facebook

Na página, o novo botão fica próximo ao “Curtir” e ao “Mensagem” e, ao ser clicado, direciona o usuário ao serviço de música via streaming e a uma lista das mais famosas canções de cada artista. Igualmente ao que ocorre com os aplicativos, na primeira vez que você clicar o serviço irá lhe pedir permissão para concessão de acesso.

Enquanto você estiver na playlist, sua timeline será atualizada com as músicas que você ouve, simultaneamente! E seus amigos terão a possibilidade de curtir, comentar e compartilhar…

Com informações do site Mashable.

 .

.

.
Felipe A Pereira
Administrador de Empresas e fundador da Intermidia Brasil.
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

 

Dicas para destruir a reputação da sua marca nas redes sociais

Uma pesquisa feita pela consultoria KPMG em dez países indicou que 70% das empresas ao redor do mundo têm presença nas redes sociais. E essa tendência é liderada pelos países emergentes: Brasil, China e Índia, onde as empresas recorrem mais a esses canais para fazer negócios. E muitas dessas empresas (muitas mesmo) aqui no Brasil não sabem se portar nas redes sociais.

Pensando nisso elaboramos um guia prático para agilizar o processo de destruição da reputação da sua marca nas redes sociais. Isso mesmo, aqui você aprenderá em 5 passos como fazer sua marca servir de péssimo exemplo nas pesquisas e cair no conceito do público!

 marca nas redes sociais

Passo 1 – Crie um perfil pessoal em todas as redes sociais usando sua marca

Todos estão fazendo isso e você não pode ficar de fora da revolução das mídias sociais! Você não deve ser muito experiente neste meio (o digital), mas com certeza não há nada que os outros estejam fazendo que você também não possa fazer, não é mesmo? Sem nenhum estudo de caso, planejamento ou estratégia de atuação, crie um perfil com a sua marca em cada uma das redes sociais do momento, Facebook, Twitter, Pinterest, Youtube, LinkedIn e o que mais julgar necessário.

Fan Page no Facebook? Para quê, se com um perfil pessoal minha marca pode ‘adicionar pessoas’ e interagir muito mais com os “amigos”?

 

Passo 2 – Publique coisas do seu cotidiano e vida pessoal

Redes sociais servem para compartilhar coisas legais, não? Com isso em mente, publique nas suas redes toda piada, foto ou vídeo que você achar ou receber por e-mail. Use e abuse de gírias e abreviações. Coloque frases machistas (ou feministas), dependendo do seu gênero. Imagens de mulheres (ou homens) semi-nus(as) também conquistam o público.
Nunca se esqueça de escrever, nas  publicações, coisas do tipo: “kkkkkkkkkkkk” ou “rsrsrsrsrsrs”. Ou até mesmo algo com mais conteúdo como: “Essa é muito boa”, “Vídeo muito bom”. – A sua imaginação é o limite!
Também faça check-in em todo e qualquer lugar que você visitar, sua casa, casa da sogra, do cunhado, buteco da esquina, supermercado… E não se esqueça de ativar o recurso de compartilhar no twitter e facebook. 😉

 

Passo 3 – Promova sua marca constantemente com seus produtos

Sempre que publicar alguma coisa, não se esqueça de promover sua marca com muitas propagandas anunciando seus produtos e serviços constantemente. Faça do seu Twitter, Facebook e demais mídias sociais verdadeiros canais de venda! Poste produtos sem parar, diariamente! Quem precisa de site quando se tem as redes sociais para ficar anunciando?

 

Passo 4 – Não leve desaforo para casa

Algum cliente insatisfeito falou mal do seu produto ou serviço nas redes sociais? Responda à altura, não leve desaforo pra casa. Afinal quem melhor do que você para saber o quão bom é seu produto ou serviço?

 

Passo 5 – Não faça nenhum tipo de monitoramento

Agora que você já sabe como trabalhar sua marca nas redes sociais, já deve estar mantendo certa “rotina” nas atividades. Faça o seguinte: não monitore, não ouça seus clientes, demore ou não responda dúvidas frequentes, não busque saber suas preferências, faixa etária, comportamento, formas de comunicação ou se tem algum influenciador, nem nada disso.
Depois de ter construído um público por certo tempo, chegou a hora de dar um tempo para as redes sociais, agora é a vez dos usuários divulgarem seus produtos e serviços. Pela qualidade da sua atuação nas redes sociais, pela contribuição que você fez diariamente para melhorar, mesmo que um pouquinho só, a vida de sua audiência, eles agora com certeza irão espalhar o nome da sua marca para além das fronteiras digitais. Quem sabe sua marca não aparece na TV ou jornal sem que você tenha gasto um centavo sequer!?

Por Felipe Bing.

Facebook penaliza conteúdos publicados com aplicativos de agendamento

Muitos profissionais de mídias sociais agendam a publicação de conteúdos através de aplicativos de terceiros, como HootSuite ou HubSpot Social Media Publisher. Seus dias de trabalho são gastos essencialmente monitorando e planejando estratégias de como otimizar as páginas, gerar leads e crescimento. Postar manualmente conteúdos diariamente tomaria muito tempo.

Mas com a nova Timeline lançada paras as Fanpages, este processo está severamente ameaçado. Depois de trocar para o novo design no instante que ela se tornou disponível, a HubSpot Social Media Team notou instantaneamente como seus “Curtir”, Comentários e Compartilhamentos  – em outras palavras, o engajamento em geral – despencou.

Foi então que algo mágico aconteceu. Notaram que qualquer coisa que fosse postado manualmente recebia mais atenção do que normalmente recebia antes da nova Timeline. Então a HubSpot decidiu fazer um teste de 2 semanas comparando os conteúdos publicados manualmente com aqueles publicados por aplicativos de agendamento.

Primeiramente foram publicados conteúdos na página do Facebook via HootSuite ou HupSpot Social Media Publishing. Uma hora depois da postagem publicada, foram documentados os números de “curtir” e cliques. E então deletada a postagem e repostada manualmente. Depois de uma hora os dados foram coletados. Isto foi feito 4 vezes por 2 semanas e depois comparados os dados.

OBS: Os resultados desse estudo não indicam que a nova Timeline foi a causa direta da diminuição de engajamento. Todavia o declínio ocorreu simultaneamente, aumentando o potencial dos dois estarem correlacionados.

 

1 – Facebook está prejudicando as curtidas dos conteúdos publicados por aplicativos de agendamento.

Especificamente foi constatado que os conteúdos publicados por aplicativos de agendamento sofreram 3x menos curtidas do que o conteúdo publicado manualmente via Facebook.

Facebook penaliza aplicativos de agendamento

 

2 – Facebook está prejudicando a Taxa de Cliques dos conteúdos publicados por aplicativos de agendamento.

Conteúdos publicados através de aplicativos de agendamento sofreram 2.5x menos cliques do que os publicados manualmente.

aplicativos de agendamento

O que está acontecendo?

O algoritmo do Facebook  que seleciona qual conteúdo é visível para os usuários é chamado de Edge Rank. Ele decide o que é mais importante no facebook para um usuário específico, usando o seguinte calculo:

1-Afinidade: O número de vezes que duas pessoas (ou uma pessoa e uma página) interagiram.

2-Peso: O número de vezes que os usuários interagiram (comentou, curtiu, compartilhou) o conteúdo em questão.

3- Recência: A hora em que o conteúdo foi publicado.

Em novembro do ano passado, o EdgeRank Checker resolveu investigar o rumor de que o Facebook penalizava aplicativos de terceiros. De acordo com o que foi concluído: “Quando um objeto é criado no Facebook, lhe é associado um peso. Nós acreditamos que o Facebook estrategicamente reduz o peso de objetos criados através de aplicativos de terceiros. A razão por trás desta estratégia seria para encorajar a criação de conteúdos dentro da plataforma do Facebook. Isto aumentaria o valor da plataforma bem como o crescimento de impressões de anúnicios.

Mas, em dezembro, o EdgeRank Checker anunciou que este problema fora resolvido. Mas parece que ele ressurgiu. A conclusão que o time da HubSpot chegou é de que mais uma vez o peso do conteúdo publicado por aplicativos de terceiros esta sendo diminuído antes mesmo de ele ter a chance de criar um “peso orgânico”.  Indiferente de esta ser uma intenção ou não do Facebook, ela está prejudicando muitos profissionais que dependem desses aplicativos.

A Timeline é boa para grandes empresas e ruim para as pequenas

De acordo com um estudo feito pela Mashable, a timeline do Facebook proporciona um aumento de 46% no engajamento.
O estudo mostrou resultados de 15 marcas como Toyota e Coca-Cola – ou seja, grandes marcas mesmo.
Como estas companhias conseguem tão elevado nível de crescimento enquanto os dados mostram que a timeline está prejudicando quem usa aplicativos de agendamento de conteúdo?

Simples, porque grandes marcas possuem grandes orçamentos. Eles podem contratar empregados que trabalhem exclusivamente focados em conteúdo para mídias sociais e em todos os turnos das 24 horas do dia, incluindo publicação manual em suas páginas. Analisando as páginas das marcas mencionadas no estudo, não há qualquer indício de que os conteúdos publicados por elas tenham sido feitos por aplicativos de agendamento.
Aplicativos de agendamento mostram que o conteúdo foi publicado por eles, “tageando” seu nome nas postagens, como na figura abaixo.

Facebook: aplicativos de agendamento

Sendo assim, o problema é para as marcas menores, que não possuem tempo nem recursos para contratar pessoas especializadas unicamente para a publicação de conteúdos e em períodos distintos das tradicionais horas de trabalho.

O estudo não mostra a diferença entre os conteúdos marcados em “destacar” e o “fixar no topo” – ambas novas funcionalidades da Timeline. Estas funcionalidades podem ajudar a aumentar a visibilidade da postagem.

 

E agora?

Infelizmente, para colher os frutos do Facebook com a Timeline, já obrigatória para todas as páginas, parece que os profissionais de marketing terão que atualizar manualmente as páginas todos os dias.

Até o Facebook abordar esta questão e consertar a parte do algorítimo que penaliza os aplicativos de agendamento, a própria plataforma da rede social é o único lugar que vai garantir que seu conteúdo ganhará a visibilidade que merece. Esperamos que a Equipe do Facebook sane isto logo, para que possamos usar nosso tempo de forma mais estratégica. Até lá, adeus agendamento de conteúdo.

 

.

Fonte: HubSpot.com

Usuários do Facebook, não usem a palavra Book!

Facebook

Que a privacidade é o assunto do momento no mundo das redes sociais todos já sabemos. E será que as pessoas já pararam para pensar sobre a privacidade das companhias? De suas marcas e logos?

Isso é algo que o Facebook está atento. Em uma recente revisão de sua Statement of Rights ans Responsabilities (Declaração de Direitos e Responsabilidades), constará que os titulares de contas não poderão mais usar a palavra “Book”.

Isso mesmo, o Facebook está tentando registrar marca na palavra “Book”.

Se estas revisões forem aprovadas os usuários que aderirem ao Facebook estarão aceitando não usar esta palavra quando acessarem suas contas. Todavia, esta é apenas uma mudança “sutil” na atual lista de termos que os usuários não podem usar sob a atual Declaração de Direitos e Responsabilidades.

“Você não deve usar nossos direitos autorais ou marcas registradas (incluindo Facebook, os logotipos Facebook e F, FB, Face, Cutucar, Mural e 32665), ou qualquer marca semelhante que possa causar confusão, sem nossa permissão por escrito.” Diz a atual Declaração de Direitos e Responsabilidades.

A nova revisão inclui a palavra “Book” e remove a “32665” (que é o numero usado para atualizar seu perfil por SMS).

De acordo com o site de tecnologia ARS Techinica, que foi o primeiro a reportar esta notícia, o Facebook tem 73 marcas registradas ativas listadas pela U.S. Patent and Trademark Office. Incluíndo a letra “F”, “Face”, “FB”, “Facepile” e “Friendfeed”. “Book”, por enquanto, não está na lista ainda.

Caso queira dar uma olhada na Declaração de Direitos e Responsabilidades do Facebook, clique aqui.

Insistência e excesso de propaganda afastam um terço dos internautas dos perfis corporativos

Uma pesquisa feita nos Estados Unidos descobriu que 52% dos consumidores norte-americanos maiores de 16 anos já se escreveram para receber novidades, seguiram o perfil ou ainda “curtiram” a página de uma empresa. Mas, apesar do número alto, quase um terço desses internautas desiste de manter o contato.

O estudo, feito pela Research Revelation, empresa de marketing especializada em pesquisas, escutou 1.500 consumidores. Eles apontaram o excesso de posts, tweets ou e-mails e a insistência em fazê-los comprar como o maior  motivo para abandonar os perfis das empresas.

Muitos empreendedores investem em perfis de redes sociais por ser um meio fácil de manter contato com muitos consumidores de uma só vez, mas o exagero na hora de falar com os clientes pode fazer com que o investimento em vez de aproximá-los, os afastem definitivamente.

Muitos desses consumidores relataram que, depois de quebrar o vínculo virtual, eles transferem a insatisfação para as lojas físicas, deixando de frequentá-las e de comprar seus produtos. Também foram apontados como motivos para o afastamento a falta de ofertas especiais e de promoções e o pouco interesse em continuar sabendo das novidades da empresa.

 

Fonte: estadao.com.br

WhatsApp chat