IBr Agência Digital | Blog

Nova política de privacidade do Google será investigada

Na Europa, através de um órgão regulamentador de proteção de dados da França, a gigante Google terá sua nova política de privacidade investigada. Segundo o órgão, a Google não se conformava com as leis europeias no que diz respeito à proteção da privacidade dos usuários.

política de privacidade

Em carta enviada ao Google no dia 27, a CNIL (Comissão Nationale de l’Informatique et des Libertés) informou que levará à frente essa investigação, junto de outros reguladores europeus e irá remeter uma lista de questionamentos para a gigante das buscas norte-americana já em março.

Em janeiro a Google informou seus usuários (e mantém esses alertas até a data de hoje, pelo menos), que mudará sua política de privacidade, aplicando a todos os seus serviços, entre eles YouTube, Gmail e Google+.

A empresa passará a unificar todas as informações que captar dos seus usuários, seja ela no Gmail, Google+ ou qualquer um outro serviço, com a explicação de que, assim, tornará melhores os resultados de buscas e melhorará o serviço aos usuários. Saiba que suas informações do Gmail poderão servir de base para anunciantes lhe mostrarem produtos em outros serviços da Google. Se você quiser continuar utilizando os serviços Google, deverá se adaptar a essa mudança, não há como optar em não ceder os dados para os demais serviços.

De acordo com a Reuters, o regulador francês disse ao Google que “a CNIL e as autoridades da União Europeia estão profundamente preocupados com a combinação de dados pessoais entre serviços”, salientando que existem muitas dúvidas quanto à legalidade dessa mudança e sua conformidade com a legislação europeia que protege dados de usuários.

Ainda de acordo com a agência, essas mudanças entram em vigor no dia 01 de março e dois pedidos de reguladores europeus para atrasar essa vigência já teriam sido rejeitados pela gigante das buscas, que usou o seu blog para responder à carta da CNIL dizendo que está feliz em poder responder aos questionamentos das autoridades europeias. “Como já dissemos várias vezes durante a semana passada, nossas políticas de privacidade mudarão em 01 de março, e o nosso compromisso com os nossos princípios de privacidade está mais forte do que nunca”, escreveu a empresa.

Essa disputa aparece em um momento conturbado para a gigante das buscas, pois o seu modelo de negócios baseia-se em ganhar dinheiro vendendo publicidade segmentada por usuário aos seus anunciantes.

Há pouco tempo, a conduta da Google já foi colocada em questão, quando anunciou que passaria a dar preferência para sua rede social nos resultados das buscas. Ela classifica seus resultados de busca favorecendo seus próprios serviços sobre os rivais. Nesse caso, dando menos relevância ao conteúdo do Twitter, por exemplo, que é onde a informação torna-se disponível de forma mais rápida na internet.

Você sabia que, como usuário Google, pode solicitar que seus dados sejam todos apagados?

Bom, se serão, aí são outros 500…

Facebook analisa dados de relacionamentos para o dia dos namorados

Na terça-feira passada (14), nos Estados Unidos, comemorou-se o Dia dos Namorados. Em razão desta data especial para os apaixonados, a página “Data Facebook” resolveu ‘rabiscar’ um gráfico de relacionamentos da rede social. O estudo analisou as mudanças de status de relacionamento nos últimos quatro anos e revelaram números impressionantes.

Facebook analisa dados de relacionamentos

Você sabia que desde 2008 mais de 260 milhões de pessoas se disseram “em um relacionamento sério” com outra pessoa no Facebook? Destes, 65% namoraram apenas uma pessoa. No entanto, aqueles que mais se separaram e tiveram novos romances ajudaram a compor melhor o gráfico.

85 milhões de pessoas estão em uma rede gigante, o que significa que seguindo uma relação interpessoal destas pessoas, você pode alcançar qualquer uma delas. Por exemplo: um amigo seu namorou uma menina que era prima de um amigo da sua namorada. É uma relação um tanto complicada, certo? Mas ela realmente pode acontecer, e acontece bastante – tanto que a criação deste tipo de análise foi baseada nessas ligações.

O estudo lembra ainda que muita gente utiliza o status do Facebook de maneira errada, como meninas que dizem estar “em um relacionamento” com suas melhores amigas (20% com menos de 15 anos colocam esse status para dizer que têm amigas). Omitindo este tipo de público, o número cai um pouco, para 45 milhões de pessoas, o que ainda assim é uma estatística bem interessante. Mas como seria a representação deste gráfico conectando tanta gente ao redor do planeta?

Confira na foto abaixo uma amostra, que tem como público as pessoas com mais de 18 anos dos Estados Unidos que já mudaram seu status de relacionamento no Facebook. Os pontos azuis são homens e os vermelhos são mulheres. Interessante, não?

Facebook analisa dados de relacionamentos na rede

Informações TechTudo

Facebook: contas verificadas e nomes fakes para pessoas públicas

Baseado historicamente em nomes e identidades reais, o Facebook passará a oferecer contas verificadas e possibilidade de utilização de pseudônimos para figuras públicas. Ou seja, se a figura quiser, poderá optar em exibir um nome fake ou de sua preferência após verificar sua conta. O recurso já está disponível no Twitter desde 2009 e no Google+ já logo após o seu lançamento.

.

fakes para pessoas públicas

Opção de verificação de conta disponível para usuários com muitos assinantes

.

Inicialmente, apenas usuários com números elevados de assinantes serão convidados a utilizar o novo recurso. Vantagem: depois de verificada, a conta passará a receber maior credibilidade e aparecerá com mais frequência como perfil indicado para os usuários assinarem e, daí por diante, passarem a acompanhar.

Curioso é que o Facebook não utilizará nenhum emblema ou símbolo, como utilizado pelo Twitter, para diferenciar contas verificadas de contas ‘normais’. Bastante curioso, afinal essa é a forma que as pessoas utilizariam para diferenciar perfis verdadeiros de perfis mentirosos e fakes.

Em vez dos emblemas, o Facebook permitirá que o usuário utilize um pseudônimo, fugindo à sua regra inicial de permitir apenas nomes verdadeiros. Dessa forma, pessoas com nomes famosos ‘estranhos’ poderão ser encontradas tanto pelo nome artístico quanto pelo seu nome de registro.

Não há formas de auto voluntariar-se para a verificação, apenas usuários com muitos assinantes serão convidados a verificar suas contas.

.

.

.
Por Felipe Pereira
.
Administrador de Empresas, acadêmico de estratégias digitais de marketing e fundador da Intermidia Brasil.
>
Me siga no Twitter, no Facebook e no Google+!

Novo recurso de controle de SPAM no Google+

O Google lançou melhorias nas opções de controle de spam para sua rede social Google+. O novo recurso permite que os usuários marquem comentários como inadequados ou abusivos e bloquear quaisquer comentários futuros do referido usuário infrator.

O novo recurso vem na forma de uma bandeirinha que apareçe no canto inferior direito quando você passa o mouse sobre um comentário, mostrando a escrita “Sinalizar como Impróprio” quando deixado o mouse em cima. A marcação pode ser desfeita clicando novamente sobre o ícone.

controle de SPAM no Google+

Quando marcado, o comentário fica esmaecido. O usuário será removido do seu círculo e suas atualizações não aparecerão mais em seu streaming. A pessoa não terá o conhecimento de que você a bloqueou ou marcou como imprópria. Curiosamente, você pode marcar comentários de pessoas fora de seus círculos também.

Facebook – Anúncios em breve também nos dispositivos móveis

dispositivos móveis

O falatório em torno do Facebook nas últimas semanas tem sido grande. Não satisfeita, a gigante das redes sociais resolveu dar mais uma chacoalhada nas coisas, com a introdução de anúncios pagos nos dispositivos móveis, que deverá acontecer ao longo das próximas duas semanas.

O Facebook já havia dito que colocar anuncios de “histórias patrocinadas” – onde as marcas pagam para se destacar nas interaçoes das pessoas e destas com seus amigos – nos dispositivos móveis era um possível passo a ser tomado pela empresa.

Em sua apresentação de IPO (Oferta Pública Inicial) na semana passada, O Facebook afirmou aos seus potenciais investidores que a falta de uma receita significativa vinda de dispositivos móveis, usados por metade dos 800 milhões de usuários, poderia afetar negativamente sua entrada de receita, a medida que mais e mais usuários começam a usar dispositivos móveis em vez de PCs para se conectar.

O grande desafio para o Facebook será encontrar o equílibrio entre satisfazer seus futuros acionistas com um rápido crescimento de sua receita, e seus fiéis usuários, que a julgar pelas reações às mudanças anteriores, podem ser resistentes a ideia de serem bombardeados por publicidade em seus PCs e agora também em seus dispositivos móveis.

Se bem que com seus 800 milhões de usuarios, é praticamente impossível fazer mudanças sem prejudicar alguma parte.
O que a empresa precisa descobrir é a melhor maneira de incorporar os anúncios sem estragar a experiência de uso.

A pequena tela simplificada causa grandes dores de cabeça para o Facebook que, se criar a formula correta, terá descoberto uma mina de ouro!

WhatsApp chat