Arquivos Google - Página 12 de 13 -

Como pesquisar imagens por cor no Google

Pesquisar imagens por cor no Google

Você sabia que pode pesquisar imagens por cor no Google? A funcionalidade não é muito recente, porém muita gente ainda não sabe como pesquisar imagens por cor no Google.

Você pode fazer buscas nas imagens do Google por qualquer palavra e, selecionando a cor no canto inferior esquerdo, a busca atualiza-se com imagens de cores relacionadas ao seu critério!

Veja o exemplo abaixo:

– Primeiramente pesquisamos por “cachorro”:

Como pesquisar imagens por cor no google

pesquisar imagens por cor

– Depois, marcamos a opção de cor preta: veja que os resultados se atualizam simultaneamente.

Como pesquisar imagens por cor no google

 – Basta um clique em outra cor, e…

Como pesquisar imagens por cor no google

.

Siga nossos perfis nas mídias sociais para receber notícias e dicas sobre tecnologia e o mundo digital!

.

.

Por Felipe Pereira
.
Administrador de Empresas e fundador da Intermidia Brasil.
>
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Facebook e Twitter perdem espaço para Google+ em Motores de Busca

Percebemos, já algum tempo, que o Google está incluindo a sua rede social Google+ nos resultados das pesquisas e isto está fazendo o Facebook e Twitter perderem espaço para o Google+ nos Motores de Busca.

O que não imaginávamos é que isto seria feito de forma tão rápida e tão brusca. Hoje, em determinadas pesquisas, o Google simplesmente não mostra os resultados de Twitter e Facebook na primeira página. Por exemplo: se você pesquisar no Google o nome de uma grande empresa, provavelmente o primeiro resultado será o site dela. Caso a empresa tenha perfis oficiais nas mídias sociais e tenha colocado links para elas em seu site, o robozinho do Google já estará avisado sobre os perfis oficiais e incluirá estes perfis nos resultados das buscas. Anteriormente, a primeira página era tomada por perfis oficiais da empresa pesquisada. Twitter, Facebook, Flicker, Youtube etc… tudo aparecia na primeira página, pois eram tidos como canais oficiais da empresa em pesquisa.

Pois agora tivemos uma grande mudança. O Google dá destaque – e cada vez maior – para os perfis oficiais das empresas na sua rede social Google+. Além deste destaque, a gigante parou de mostrar nos resultados os perfis oficiais, principalmente, do Facebook.

O maior prejudicado nas pesquisas está sendo o Facebook. Assista ao vídeo, logo após o texto, onde demonstramos um exemplo prático do que o Google está fazendo.

Facebook twitter perdem espaço nos motores de busca

Quanto a isso, tudo bem: a Google é dona do site de buscas e dona da rede social Google+, e ela faz o que bem entender com elas. Porém, o lema da empresa é “Proporcionar e melhorar, sempre, a experiência do usuário, mostrando resultados relevantes e atendendo-os de forma satisfatória”.

Pra mim, isto é contraditório, pois os perfis e comportamento (pelo menos na data de hoje) das empresas presentes nessas três mídias sociais são bastante distintos.  O canal de menor interatividade na maioria dos casos é o do Google+. E o Twitter, meio de comunicação imediato e em tempo real, poderia ser considerado ‘não relevante’ pelo mecanismo de busca? Claro que não.

O jeito é se adaptar. Se você é responsável pela parte digital ou possui alguma empresa, prepare sua página o quanto antes e comece a interagir no Google+ também. Em pouco tempo as pessoas irão pesquisar o serviço/produto que estão precisando e aquelas empresas que estiverem no Google+ com bastante interatividade no grupo de amigos do usuário serão beneficiadas nos resultados!

Não tem outra saída. Pelo menos não enquanto o Google dominar mais de 97% das buscas no Brasil.

Assista abaixo e deixe sua opinião nos comentários! 🙂


.
.

.

.
Por Felipe Pereira
.
Administrador de Empresas e fundador da Intermidia Brasil.
>
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

Crianças perguntam ao Google, ao invés de seus pais ou professores


De acordo o Daily Mail, os menores de 15 anos parecem caminhar cada vez mais distantes de seus pais, pelo menos quando se refere a fazer perguntas e obter conhecimento.

Crianças perguntam ao Google

De acordo com a publicação britânica, 54% das crianças preferem consultar o Google em vez de perguntar a seus pais ou professores.

Outro detalhe que chama a atenção é que metade das crianças, por volta de 45%, nunca consultaram uma enciclopédia e 19% não sabem o que é um dicionário impresso.

O estudo envolveu 500 crianças e destaca a tecnologia como uma central de respostas. Quase metade das crianças usa o Google pelo menos cinco vezes ao dia.

“Isso não é necessariamente uma coisa ruim. Ela mostra o quão comum é a tecnologia digital para as crianças de hoje e como elas estão confortáveis em usá-la”, disse Dr Pam Waddell, Diretor da Birmingham Science City.

.

Fonte: Google Discovery, por Renê Fraga.

Nova política de privacidade do Google será investigada

Na Europa, através de um órgão regulamentador de proteção de dados da França, a gigante Google terá sua nova política de privacidade investigada. Segundo o órgão, a Google não se conformava com as leis europeias no que diz respeito à proteção da privacidade dos usuários.

política de privacidade

Em carta enviada ao Google no dia 27, a CNIL (Comissão Nationale de l’Informatique et des Libertés) informou que levará à frente essa investigação, junto de outros reguladores europeus e irá remeter uma lista de questionamentos para a gigante das buscas norte-americana já em março.

Em janeiro a Google informou seus usuários (e mantém esses alertas até a data de hoje, pelo menos), que mudará sua política de privacidade, aplicando a todos os seus serviços, entre eles YouTube, Gmail e Google+.

A empresa passará a unificar todas as informações que captar dos seus usuários, seja ela no Gmail, Google+ ou qualquer um outro serviço, com a explicação de que, assim, tornará melhores os resultados de buscas e melhorará o serviço aos usuários. Saiba que suas informações do Gmail poderão servir de base para anunciantes lhe mostrarem produtos em outros serviços da Google. Se você quiser continuar utilizando os serviços Google, deverá se adaptar a essa mudança, não há como optar em não ceder os dados para os demais serviços.

De acordo com a Reuters, o regulador francês disse ao Google que “a CNIL e as autoridades da União Europeia estão profundamente preocupados com a combinação de dados pessoais entre serviços”, salientando que existem muitas dúvidas quanto à legalidade dessa mudança e sua conformidade com a legislação europeia que protege dados de usuários.

Ainda de acordo com a agência, essas mudanças entram em vigor no dia 01 de março e dois pedidos de reguladores europeus para atrasar essa vigência já teriam sido rejeitados pela gigante das buscas, que usou o seu blog para responder à carta da CNIL dizendo que está feliz em poder responder aos questionamentos das autoridades europeias. “Como já dissemos várias vezes durante a semana passada, nossas políticas de privacidade mudarão em 01 de março, e o nosso compromisso com os nossos princípios de privacidade está mais forte do que nunca”, escreveu a empresa.

Essa disputa aparece em um momento conturbado para a gigante das buscas, pois o seu modelo de negócios baseia-se em ganhar dinheiro vendendo publicidade segmentada por usuário aos seus anunciantes.

Há pouco tempo, a conduta da Google já foi colocada em questão, quando anunciou que passaria a dar preferência para sua rede social nos resultados das buscas. Ela classifica seus resultados de busca favorecendo seus próprios serviços sobre os rivais. Nesse caso, dando menos relevância ao conteúdo do Twitter, por exemplo, que é onde a informação torna-se disponível de forma mais rápida na internet.

Você sabia que, como usuário Google, pode solicitar que seus dados sejam todos apagados?

Bom, se serão, aí são outros 500…

Linha do tempo do Facebook, Google e a Bolha de Filtros

A linha do tempo do facebook não é mais novidade para ninguém, a grande maioria ja está utilizando, ou porque habilitou por conta própria ou recebeu a atualização automaticamente. E se você foi uma das pessoas que optou por habilita-lá por conta própria, por pura curiosidade, talvez esteja se arrependendo tanto quanto eu.

Juro que se soubesse a grande porcaria, pesada, confusa e cheia de “bugs” que seria, eu NUNCA teria habilitado. Em todo lado só ouço reclamações.
Zuckerberg meu amigo, é bom que tenhas bons planos para esta atualização que nos foi empurrada goela abaixo, senão…

Na verdade ele tem bons planos, mas para ele!
Esta atualização nada mais é do que um incentivo para que você compartilhe mais conteúdo em seu perfil, digo, na sua linha do tempo, e com isso aumentar a interatividade dos usuários, e destes com a rede social. E aumento de interetividade se resume a aumento do tempo que você fica com seu Facebook aberto e consequentemente aumenta o tempo que você fica exposto a anúncios.

“Ah! Vai ser assim então? To indo para o Google+

O Google e suas práticas cada vez mais monopolistas nos seus resultados de buscas? Vai pra lá então. (Já falei sobre isto: leia aqui)

Não se trata mais de importar-se com o que é bom para o internauta (e algum dia importou?) e sim o quanto saber sobre ele para empurrar-lhes os produtos de seus anunciantes. Sério gente, o Google sabe mais sobre nós do que nossas próprias mães!

Semana passada fez muito calor aqui em “Forno” Alegre, então e cogitei comprar um Ar Condicionado Split, fiz uma busca, olhei 3 sites e desisti, não achei sensato gastar uma grana por causa de 2 dias de calor (sim, eu sou pão duro!). Enfim, encerrada a busca fui ler algumas noticías e visitar alguns sites como de costume. Foi então que comecei a atentar para os anúncios nos sites que eu estava visitando, e adivinhem o que vi?
Exatamente, uma enxurrada de ofertas de Splits, oriundos da minha pesquisa anterior e mostrados na rede de display do Google.

Os Crawlers do Google.

Alguns podem pensar que é coincidência. Sim, seria coincidência uma vez, mas não 4 vezes!!!
Sim, de 8 sites que visitei, 4 deles me mostravam ofertas de Ar Condicionado Split nos seus anúncios. Nos rodapés dos vídeos ou nos banners em flash, onde quer que eu clicasse e houvesse espaço para publicidade, eu via ofertas de Split. Todos eles foram direcionados a mim exclusivamente, graças a minha maldita busca.
Me senti numa feira onde os feirantes tentam lhe empurrar toda sorte de mercadorias na base do grito, e todos ao mesmo tempo!
Um corredor polonês de ofertas de Split.

Ok, isso é ótimo para os negócios, para quem está anunciando é uma maravilha o que os mecanismos de busca fazem para empurrar oferecer os produtos ou serviços da sua empresa.

Mas vou desta vez puxar para o lado do internauta que não esta buscando comprar e sim se entreter ou buscar informação.

O que quero que reflitam é o seguinte: se para um resultado de busca por um produto ele me fez isso, o que acontece quando eu busco por um determinado assunto de meu interesse? O que acontece na minha busca por conhecimento? Por informação? Vou ficar preso a “bolha de filtros” das minha próprias preferencias e nunca saberei o que há além?

A resposta para essa pergunta é: SIM!

O Google, alias, não só o Google, o Yahoo, Facebook e todo mecanismo em que você possa fazer uma busca, vai lhe mostrar unicamente o que eles ACHAM que você quer ver, e não aquilo que você TEM que ver!!

Bolha de filtros de Eli Pariser

Nas palavras de Eric Schmidt, ex-CEO do Google: “Será muito dificil fazer com que as pessoas vejam ou adquiram algo que não foi de alguma forma feito para elas.”

“Ah, Felipe, mas isso é bom!”

Não, não é! Sabe por que? Por que você não decide o que é bom pra você, as preferências da sua bolha de filtros não são escolhidas por você, e sim presumidas pelos seus atos, suas buscas, seu comportamento na internet.

A pior parte é que você nunca saberá o que está do lado de fora desta bolha…
.

Felipe de Andrade PereiraFelipe A Pereira

Administrador de Empresas, fundador e CEO da Intermidia Brasil. Autor do livro Marketing e Comunicação Digital: a internet otimizando negócios
Converse comigo no Twitter, no Facebook e no Google+!

WhatsApp chat